Engenharia Ambiental: Valorização Energética

Apresentação do Programa

O elevado ritmo de vida atual traz como conseqüência um aumento na geração de resíduos, cuja eliminação constitui um grave problema de caráter ambiental. Mesmo assim, se as qualidades combustíveis dos resíduos são aproveitadas, é possível eliminá-los como também aproveitar o potencial energético que contêm.

A partir de uma perspectiva ampla, esta técnica pode e deve enquadrar-se dentro do que se denomina gestão global otimizada de resíduos, um processo que integra diferentes ações e que ocupa cada dia mais espaço nas agendas governamentais nacionais e municipais, assim como em empresas e diversas organizações sociais.

Com um enfoque eminentemente prático, o programa de Engenharia Ambiental: Valorização Energética discute esta problemática e analisa de forma objetiva as soluções, sempre antepondo estratégias de sistematização de experiências de recuperação, reutilização e reciclagem; desde as propriamente corretoras como a incineração ou o despejo em aterros sanitários.

A quem é dirigido

O Programa de Engenharia Ambiental: Valorização Energética foi criado especialmente para satisfazer a dois tipos diferentes de grupos:

  • Pessoas sem uma titulação universitária que, por suas próprias características pessoais ou experiência, desejam alcançar uma formação de qualidade neste campo.
  • Titulados superiores que, além da formação de base, desejam uma especialização prática no campo ambiental para que tenham possibilidade de ampliar suas aberturas profissionais.

Titulação

Ao finalizar o Programa com êxito, o aluno receberá um Diploma expedido pela Universidade onde se matriculou com o patrocínio da Fundação Universitária Iberoamericana (FUNIBER).

Estrutura do Programa

A duração estimada do programa de Engenharia Ambiental: Valorização Energética é de 100 horas (10 créditos)1.

Com relação à distribuição do tempo se estabelece que:

  • por ser um Programa a distância e não estar sujeito a classes presenciais, não se estabelece uma data concreta de início, pois o aluno pode formalizar a matrícula em qualquer momento, sempre que haja vagas disponíveis;
  • por motivos acadêmicos e de aprendizagem exige-se uma duração mínima no Programa de um mês, contabilizados a partir da data de entrega do tomo até a data de recepção do exercício de avaliação;
  • o tempo máximo disponível para a realização do Programa é de três meses. Neste período de tempo, o aluno deve entregar a avaliação correspondente a disciplina;

A estrutura de créditos do programa de Engenharia Ambiental: Valorização Energética apresenta-se na seguinte tabela:

  CRÉDITOS a DURAÇÃOb HORAS
Disciplina 10 3 100
TOTAL 10 3 100

a. A equivalência em créditos pode variar de acordo com a universidade que titula
b. Duração em meses

Objetivos

Objetivo geral:

  • Adquirir os conhecimentos básicos necessários, alternativos à valorização material, para aplicar técnicas de valorização energética dos resíduos na empresa, propondo metodologias e ações para minimizar a geração de resíduos em seus processos.

Objetivos específicos:

  • Conhecer outras medidas de gestão de resíduos, a alternativa à valorização material mediante o aproveitamento do poder calorífico de um resíduo, quando este poder for similar ao de um combustível e apresentar um balanço ambiental mostrando-se favorável.
  • Compreender os ciclos de energia que ocorrem nos sistemas ambientais urbanos e sua incidência sobre a atividade empresarial.
  • Avaliar os rendimentos dos sistemas básicos de instalações de energia total: motores de combustão interna, turbinas a gás e turbinas a vapor.
  • Redigir um estudo energético e econômico das atividades de uma empresa, visando o máximo aproveitamento da energia disponível e o fomento a uma economia de custos.
  • Conhecer as aplicações dos sistemas de cogeração nas instalações em funcionamento mediante o estudo de casos práticos reais.

Saídas Profissionais

Algumas das saídas profissionais do Programa de Engenharia Ambiental: Valorização Energética são as seguintes:

  • Ocupação em locais específicos como técnico/assessor em eficiência energética.
  • Técnico especializado em otimização de processos de cogeração.
  • Ocupação em incineradoras e outras usinas de tratamento térmico.
  • Docência.

Plano de estudos

O programa de Engenharia Ambiental: Valorização Energética é composto de uma disciplina, incluindo casos práticos relacionados com a área.

A disciplina permite conhecer e compreender, em primeiro lugar, os fundamentos teóricos, conceituais e históricos implicados na gestão da energia e, em segundo lugar, sua implementação organizacional, social e tecnológica.

O objetivo é conseguir que os alunos adquiram uma visão global da gestão dos resíduos do ponto de vista da valorização energética, através de diferentes temáticas multidisciplinares relacionadas.

Os capítulos que compõem a disciplina são apresentados a seguir:

Descrições dos Cursos

No contexto de uma solução integral de valorização de resíduos, a recuperação de energia desempenha um papel muito importante. Nesta Especialização são detalhadamente expostos os principais processos de valorização energética para obter energia elétrica através dos resíduos que, em outras condições, seriam depositados em aterros. Do mesmo modo, descrevem-se as principais fontes energéticas "alternativas" ou "renováveis" e se faz um exaustiva abordagem, facilmente compreensível, com um grande número de diagramas exemplificando os sistema de co-geração como processo utilizado e aceito para a produção combinada de potência e calor.

COMBUSTÃO E DESTRUIÇÃO TÉRMICA DE RESÍDUOS
Fenômenos e processos que ocorrem em função da temperatura. Os resíduos como combustíveis. Noções, diagramas e eficácia de combustão. Fatores relacionados ao combustível e à transmissão de calor: condução, convecção e radiação. A isotermia nos fornos. Conceito de inércia térmica. Forno de leito fluido. Noção de destruição térmica.
VALORIZAÇÃO ENERGÉTICA DE RSU
Introdução. Incineração. Estações de incineração de RSU. Legislação aplicável. Incineração no Sistema Integrado de Gestão de Resíduos. Recuperação de energia mediante incineração. Tipos de fornos: forno de grelha, fornos rotativos, forno de leito fluido. Processo de funcionamento de uma estação incineradora. Impacto ambiental das estações incineradoras. Sistemas de tratamento. Os produtos plásticos nos processos de combustão de RSU. Custos de inversão e de exploração das estações de incineração de RSU. Conclusões.
O ATUAL CONTEXTO DAS ENERGIAS RENOVÁVEIS
Antecedentes energéticos e dúvidas quanto às energias renováveis. Configuração do atual sistema energético. Principais críticas às energias renováveis. Potencial energético das energias renováveis, fundos de pesquisa e desenvolvimento, impactos ambientais. Atual Situação e evolução apresentada por alguns setores energéticos renováveis: eólico, solar térmico e solar fotovoltaico, da biomassa e da mini-hidráulica.
COGERAÇÃO
Aspectos gerais da cogeração. Turbinas a vapor. Turbinas a gás. Ciclo combinado. Cogeração com motor alternativo de combustão interna.
CASOS PRÁTICOS
Resolução de problemas reais na cogeração.

1. A equivalência em créditos pode variar de acordo com a universidade que titula

Nota: O conteúdo do programa acadêmico pode sofrer pequenas modificações, em função das actualizações ou de melhoras exetuadas.

Direção

  • Dr. Antonio Maya Frades. Doutor em Geografia. Professor da Universidade de León, Espanha.
  • Dra. Leonor Calvo Galván. Doutora em Ciências Biológicas. Professora da Universidade de León, Espanha.
  • Dr. Xavier Elías Castells. Doutor em Engenharia Industrial. Diretor da Bolsa de Subprodutos da Catalunha, Espanha.
  • Engº. Omar Gallardo. Engenheiro Civil de Minas. Professor da Universidade de Santiago do Chile, Chile.
  • Dra. Rosalba Guerrero Aslla. Doutora em Engenharia Metalúrgica. Professora da Universidade de Piura, Peru.
  • Engª. Icela Márques de Rojas. Engenharia Civil. Professora da Universidade Tecnológica do Panamá, R. P. Panamá.
  • Mtra. Emilia Gámez Frías. Professora da Universidade de Guadalajara, México.
  • Dr. Roberto M. Álvarez. Doutor em Engenharia de Projetos, pela Universidad Politécnica de Cataluña, Espanha, Mestre em Gerenciamento de projeto e de desenho, pela Politécnica de Milán, Itália. Professor da Universidad de Buenos Aires, Argentina. Diretor da Fundación Universitaria Iberoamericana (FUNIBER) Argentina.
  • Dr. Oscar Arizpe Covarrubias. Chefe do Laboratorio Ecologia de Sistemas Costeiros. Professor-Pesquisador Titular C de Dedicação Exclusiva, Chefe do Laboratorio Universidad Autónoma de Baja California Sur.

Professores e Autores

  • Dr. José Ulises Rodríguez Barboza. Doutor em Engenharia de Estradas, Canais e Portos (UPC).
  • Dr. Otoniel A. Sanabria Artunduaga. Doutor em Engenharia de Estradas, Canais e Portos (UNAL).
  • Dr. (c). D. Eduardo García Villena. Engenheiro Industrial e Mestre em Engenharia Ambiental (UPC).
  • Dr. (c). D. Kilian Tutusaus Pifarré. Licenciado em Ciências do Mar (ULPGC).
  • Eng. Diana I. Quintero Torres. Mestre em Engenharia Ambiental (Universidad Nacional de Colombia).

Bolsa de Trabalho

A Fundação Universitária Iberoamericana (FUNIBER) destina periodicamente um valor econômico de caráter extraordinário para Bolsas de estudo em Formação FUNIBER.

Para solicitá-la, preencha o formulário de solicitação de informação que aparece no portal FUNIBER ou entre em contato diretamente com a sede da fundação em seu país para saber se é necessário proporcionar alguma informação adicional.

Uma vez que tenhamos recebido a documentação, o Comitê Avaliador examinará a idoneidade de sua candidatura para a concessão de um incentivo econômico na forma de Bolsa de estudo em Formação FUNIBER.