Master em Engenharia Industrial

Apresentação do Programa

O Master em Engenharia Industrial é um programa de referência que, através de uma articulação acadêmica inovadora, centrada na pesquisa e no desenvolvimento tanto do conhecimento científico como da organização empresarial, desenvolve habilidades e a capacidade de criar soluções sustentáveis para responder às necessidades e aos desafios do âmbito industrial.

O aluno que conclui satisfatoriamente o master estará qualificado para:

  • Compreender o cenário integral da atividade produtiva industrial.
  • Analisar problemas complexos ou oportunidades relacionadas com a disciplina detectados em organizações, com rigor metodológico e baseando-se em conhecimentos atualizados que permitam desenvolver um pensamento estruturado e sistêmico.
  • Administrar projetos de consultoria para melhorar o desempenho das organizações de acordo com as normas aceitas internacionalmente.
  • Criar um sistema logístico que cumpra com o nível de serviço solicitado pelo cliente. Projetar o sistema de gestão da qualidade de uma organização, sustentado em modelos de qualidade e de certificações internacionais.
  • Gerenciar o ciclo de vida completo de qualquer atividade industrial: desde a ideia inicial e a redação das bases de um projeto até a execução, direção e controles finais, passando pela tramitação de todas as autorizações e licenças que sejam necessárias.
  • Desenvolver papéis de liderança, necessários para constituírem agentes da mudança nas dinâmicas de transformação do seu país.

A quem é dirigido

O programa de Master em Engenharia Industrial abarca vários perfis de ingressantes, já que a diversidade de itinerários de especialização oferecidos adapta-se a todas as áreas funcionais da indústria.

  • Graduados de áreas da engenharia e das ciências exatas. São profissionais com o perfil adequado para cursar este master, pois contam com as bases técnicas do núcleo básico das disciplinas e, portanto, têm facilidade para cursar as disciplinas centrais subsequentes com êxito.
  • Graduados de áreas econômico-administrativas. São profissionais de áreas consideradas afins, para os efeitos deste programa, pois contam com uma sólida base em administração de recursos e prospecção de cenários, tanto financeiros quanto organizacionais. Seus conhecimentos na área de processos, mesmo que administrativos, oferecem as capacidades necessárias para analisar e otimizar; e de maneira simples, transladar estas técnicas para o âmbito industrial. Estes alunos, dependendo de sua formação anterior, algum complemento de formação pode ser necessário, sendo adaptado a cada caso de maneira personalizada. Geralmente, os conhecimentos fundamentais são nivelados nas disciplinas básicas.

Titulação

Ao finalizar o programa, o aluno receberá o título de Mestre em Engenharia Industrial, concedido pela Universidade da rede de universidades colaboradoras da FUNIBER em que foi matriculado.

Estrutura do Programa

Master em Engenharia Industrial tem uma duração de dois anos (24 meses).

A quantidade de créditos do programa variará conforme a Universidade titulante em que o aluno se matricula

O programa tem início com dois blocos de caráter obrigatório, a serem realizados durante o primeiro ano: o curso básico e os cursos centrais.

No terceiro semestre, os estudantes cursarão um dos módulos optativos formados pelos cursos de especialidade.

Durante o segundo e o terceiro semestre, o aluno também cursará os seminários de pesquisa I e II, a partir dos quais elaborará, com a assistência do tutor indicado, o protocolo de Projeto Final/Dissertação de Master.

No quarto semestre, o aluno elaborará seu Projeto Final/Dissertação de Master com a assessoria de seu Orientador de Master.

  CRÉDITOS1 UNIDADE DE TEMPO
1ª Parte: Cursos Básicos (Obrigatório) 36 1º Semestre
2ª Parte: Cursos Centrais (Obrigatório) 35 2º Semestre
3ª Parte: Cursos de Especialidade (Optativo) 35 3º Semestre
4ª Parte: Projeto Final/Dissertação de Master (Obrigatório) 15 4º Semestre
TOTAL 121 24 meses

1. A quantidade de créditos dependerá da Universidade (dentre as que titulam este Programa e pertencem à rede de universidades da qual a FUNIBER faz parte) em que o aluno fez a matrícula.

Objetivos

Objetivo geral

  • Formar especialistas de perfil multidisciplinar nas principais áreas de conhecimento da engenharia industrial, que contribuam com a busca de soluções técnicas de maneira sustentável e desenvolvam uma liderança empresarial moderna, permitindo a constituição de grupos de trabalho eficientes e visando a melhoria no desempenho das organizações.

Objetivos específicos

  • Promover a aprendizagem dos elementos teóricos e práticos nas áreas relacionadas com as atividades industriais.
  • Promover a pesquisa científica para propor soluções técnicas completas para os problemas das organizações industriais com foco na sustentabilidade.
  • Formar profissionais com as competências necessárias para ocupar postos de gestão em organizações industriais.

Saídas Profissionais

Algumas das saídas profissionais do Master em Engenharia Industrial são:

  • Gestão de projetos de consultoria organizacional, com perspectiva internacional.
  • Desenho e implementação de sistemas logísticos.
  • Automação de processos industriais.
  • Elaboração e gestão de sistemas agroindustriais.
  • Direção de operações.
  • Elaboração e implementação de sistemas de Gestão da Qualidade.
  • Gerenciamento de trabalho de projetos.
  • Gestão de projetos de inovação tecnológica e de conhecimento.

No entanto, sua grande base teórica, sua visão logística e sua capacidade de adaptação torna possível alocar engenheiros industriais em, praticamente, qualquer posto de responsabilidade nas empresas de qualquer setor, não apenas na indústria.

Plano de estudos

O Master em Engenharia Industrial possui uma estrutura curricular baseada em 4 partes de formação:

  • 1ª PARTE: CURSOS BÁSICOS

Os cursos básicos estão orientados para a aprendizagem dos conhecimentos, habilidades e atitudes necessários fundamentais para um aproveitamento adequado do Master. Integra disciplinas focadas em temas que são considerados precedentes, constituindo uma base necessária para a aprendizagem das disciplinas que integram os cursos centrais e de especialidades.

As disciplinas que constituem os Cursos Básicos são apresentadas na seguinte tabela:

  • 2ª PARTE: CURSOS CENTRAIS

Os cursos centrais focam-se nas disciplinas-chave para um perfil profissional no campo da engenharia a partir de uma visão integral.

As disciplinas que constituem os Cursos Centrais são apresentadas na seguinte tabela:

  • 3ª PARTE: CURSOS DE ESPECIALIDADES

Os cursos de especialidades orientam-se para a aprendizagem dos conhecimentos, habilidades e atitudes que permitem a obtenção uma formação avançada e focada na especialização profissional em diversas áreas de aplicação da Engenharia Industrial.

As disciplinas que integram os Cursos de Especialidades são apresentadas na tabela a seguir, atendendo as diversas orientações possíveis ou itinerários optativos:

ORIENTAÇÃO AUTOMAÇÃO DE PROCESSOS INDUSTRIAIS
# DISCIPLINAS CRÉDITOS
1 Integração de Sistemas Mecatrônicos 6
2 Sistemas Robóticos 6
3 Automação e Controle 6
4 Administração da Produção 6
5 Logística 6
6 Seminário de Pesquisa II 5
TOTAL 35
ORIENTAÇÃO AGROINDÚSTRIA
# DISCIPLINAS CRÉDITOS
1 Sistemas Agroindustriais 6
2 Planejamento e Distribuição de Instalações 6
3 Engenharia de Produção na Indústria Alimentar 6
4 Tecnologia das Indústrias Agroalimentares 6
5 Logística 6
6 Seminário de Pesquisa II 5
TOTAL 35
ORIENTAÇÃO AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE
# DISCIPLINAS CRÉDITOS
1 Planejamento e Distribuição de Instalações 6
2 Engenharia de Valorização e Tratamento de Resíduos 6
3 Tratamento de Águas Residuárias Industriais 6
4 Tratamento de Efluentes Gasosos 6
5 Valorização Energética 6
6 Seminário de Pesquisa II 5
TOTAL 35
ORIENTAÇÃO ORGANIZAÇÃO E GESTÃO INDUSTRIAL
# DISCIPLINAS CRÉDITOS
1 Administração da Produção 6
2 Administração e Direção de Empresas 6
3 Coaching 6
4 Logística 6
5 Planejamento e Distribuição de Instalações 6
6 Seminário de Pesquisa II 5
TOTAL 35
  • 4ª PARTE: PROJETO FINAL/DISSERTAÇÃO DE MASTER

O Projeto Final/Dissertação de Master (PF/DM) é o desenvolvimento de um projeto aplicado que traga novidade ao campo de conhecimento do programa de estudo. O PF/DM deve ser elaborado de acordo com os alinhamentos e normas exigidas para uma atividade deste tipo. Durante todo o processo, contará com a assessoria da equipe acadêmica e de um orientador de PF/DM, pessoa especialista no tema objeto de estudo.

4ª PARTE: PROJETO FINAL/DISSERTAÇÃO DE MASTER
# DISCIPLINAS
1 Projeto Final/Dissertação de Master

Descrições dos Cursos

1ª PARTE: CURSOS BÁSICOS

  1. GESTÃO E DIREÇÃO DE OPERAÇÕES

    Nesta disciplina, abordam-se as atividades incluídas na gestão de operações e logística desde os aspectos mais estratégicos vinculados às decisões de longo prazo como a elaboração e a definição de produto (o que oferecemos?), e o desenho e a análise do processo (como o obtemos?), passando pelas decisões tácticas e operacionais de planejamento presentes na atividade a médio e curto prazos (quanto, como e onde o oferecemos?), com o apoio indiscutível das atividades logísticas que tornam o plano viável.

    Alguns dos temas abordados na disciplina:

    DESENHO DE SISTEMAS DE PRODUÇÃO: PROGNÓSTICOS, PLANEJAMENTO E CONTROLE.
    SISTEMAS SINCRONIZADOS DE PRODUÇÃO.
    A GESTÃO DA CADEIA DE FORNECIMENTO.
    PLANEJAMENTO DA LOGÍSTICA E SUAS ÁREAS.
    A FUNÇÃO DAS COMPRAS E DOS FORNECIMENTOS.
  2. ENGENHARIA DE PROCESSOS INDUSTRIALES

    A disciplina é orientada à compreensão, análise e interpretação dos diagramas e equipamentos empregados nos processos na indústria, assim como na aplicação dos conceitos da Engenharia Industrial para as empresas industriais no âmbito dos processos e equipamentos de fabricação mais representativos.

    Alguns dos temas abordados na disciplina:

    INTRODUÇÃO À INDÚSTRIA DE PROCESSOS.
    INTRODUÇÃO À ENGENHARIA DE PROCESSOS.
    DIFERENTES TIPOS DE DIAGRAMAS, TABELAS E SIMBOLOGIA DE EQUIPAMENTOS MAIS COMUNS NA INDÚSTRIA DE PROCESSOS.
    ANÁLISE DE DIAGRAMAS.
    ANÁLISE DE TIPOS DE PROCESSOS NA INDÚSTRIA.
  3. GESTÃO DA QUALIDADE: ISO 9001 E AUDITORIA

    Os sistemas de gestão da qualidade baseiam-se, em sua maioria, na norma internacional ISO 9001 ou nos modelos de excelência empresarial, como o europeu EFQM.

    A partir de um foco eminentemente prático, esta disciplina constitui um referencial adequado para aqueles que se veem na necessidade de implantar um sistema de gestão de qualidade, seja pela exigência de seus clientes ou pela obrigatoriedade de cumprir com as diferentes normas legais existentes no setor.

    Alguns dos temas abordados na disciplina:

    SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE.
    O DIA A DIA COM A NORMA ISO 9001.
    AUDITORIA DA QUALIDADE.
    APÊNDICES.
  4. PREVENÇÃO CONTRA RISCOS LABORAIS: OHSAS 18001

    Esta disciplina permite ao aluno identificar os requisitos empresariais, em matéria de prevenção e aplicação das diferentes técnicas para o controle de riscos laborais a fim de alcançar um desenvolvimento eficaz da gestão humana na gestão da prevenção. Neste sentido, proporcionam-se os conhecimentos necessários para implantar um sistema de gestão de prevenção de riscos laborais baseados no padrão OHSAS 18001.

    Alguns dos temas abordados na disciplina:

    INTRODUÇÃO ÀS CONDIÇÕES DE TRABALHO E SAÚDE E A RELAÇÃO ENTRE AMBAS.
    OS ACIDENTES E A SEGURANÇA NO TRABALHO.
    ESTUDO DE ALGUMAS TÉCNICAS PARA A PREVENÇÃO.
    GESTÃO E INTEGRAÇÃO DA PREVENÇÃO DE RISCOS LABORAIS.
  5. GESTÃO AMBIENTAL: ISO 14001

    O objetivo geral desta disciplina é descrever os Sistemas de Gestão Ambiental (SGA) como uma ferramenta que organiza e formaliza os procedimentos que a empresa realiza ao considerar aspectos ambientais em todas as suas atividades. Desta forma, são expostas de maneira clara e didática os passos necessários para a implementação deste instrumento de gestão ambiental, orientado para a proteção do ambiente e a redução das barreiras do comércio internacional.

    Alguns dos temas abordados na disciplina:

    EMPRESA E AMBIENTE: MEDIDAS DE PROTEÇÃO AMBIENTAL.
    OS SISTEMAS DE GESTÃO AMBIENTAL NA EMPRESA (SGA).
    A NORMA ISO 14001: GESTÃO INTEGRAL DE QUALIDADE E AMBIENTAL.
    CASO PRÁTICO: ESTUDO DIDÁTICO DE UMA IMPLANTAÇÃO.
  6. SISTEMAS DE GESTÃO INTEGRADA: QUALIDADE, PREVENÇÃO E AMBIENTAL

    Esta disciplina proporciona os fundamentos sobre a integração dos sistemas de gestão: qualidade, ambiente e prevenção de riscos laborais, fornecendo ideias sobre as implicações do comportamento organizacional referente à integração e, por sua vez, do projeto de integração sobre o fator humano. Desta forma, serão analisados os diversos elementos e atividades da gestão integrada.

    Alguns dos temas abordados na disciplina:

    O PROCESSO DE INTEGRAÇÃO: CONDICIONANTES, VANTAGENS E DIFICULDADES.
    ETAPAS NA IMPLEMENTAÇÃO DE UM SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADA.
    ELEMENTOS E AGENTES ENVOLVIDOS NA GESTÃO INTEGRADA.
    DOCUMENTAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADA.

1ª PARTE: CURSOS BÁSICOS

  1. INTEGRAÇÃO DOS SISTEMAS DE GESTÃO EMPRESARIAL

    O objetivo geral desta disciplina é ser um motivador para integrar as organizações através dos sistemas que tratam a informação como material diário de trabalho e que fornecem um valor como ativo. São expostos todos os conceitos e teorias necessários para conhecer e compreender os fundamentos de uma integração corporativa, assim como todo o espectro do sistema e da tecnologia existentes e que seja necessário integrar.

    Alguns dos temas abordados na disciplina:

    INTEGRAÇÃO CORPORATIVA E TECNOLÓGICA
    PLANEJAMENTO EMPRESARIAL (ERP, ENTREPRISE RESOURCE MANAGEMENT).
    GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS NA ERA DIGITAL
    SISTEMAS DE RELAÇÕES DE FORNECEDORES (SCM, SUPPLY CHAIN MANAGEMENT).
    GESTÃO DE RELAÇÕES COM O CLIENTE (CRM, CUSTOMER RELATIONSHIP MANAGEMENT).
  2. AVALIAÇÃO DE PROJETOS

    Esta disciplina tem por objetivo desenvolver no aluno os conceitos e conhecimentos necessários para envolvê-lo de maneira eficiente no desenvolvimento da avaliação de projetos de diversas implicações. Estes conceitos e conhecimentos serão alcançados na forma efetiva mediante o desenvolvimento da aplicação de uma metodologia de análise que tem por objeto definir se um projeto cumpre ou não com os fins propostos, não só do ponto de vista econômico, mas também em relação ao alcance técnico e social proposto para o mesmo.

    Alguns dos temas abordados na disciplina:

    VISÃO INTEGRAL SOBRE A AVALIAÇÃO DE PROJETOS.
    FLUXO DE CAIXA PARA A AVALIAÇÃO DE PROJETOS.
    INDICADORES DE RENTABILIDADE.
    RISCO E INCERTEZA NA AVALIAÇÃO DE PROJETOS.
    AVALIAÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS E DE INVESTIMENTO PÚBLICO.
  3. PLANEJAMENTO E GESTÃO DE PROJETOS

    Esta matéria explica como se distribuem os recursos ao longo do tempo visando o cumprimento de um projeto empresarial e como devem ser organizados para obter um planejamento do trabalho estável, em respeitando as prioridades e alcançando os objetivos. Isto requer conhecer e analisar tanto as motivações quanto as necessidades de todos os recursos (humanos e não humanos) envolvidos na execução das tarefas a realizar para conseguir o êxito do projeto com base nos desejos e nas necessidades de todos os usuários envolvidos em sua execução.

    Alguns dos temas abordados na disciplina:

    PROCESSOS DE PLANEJAMENTO E DIAGNÓSTICO DE PROBLEMAS NA GESTÃO DE PROJETOS.
    CRITÉRIOS PARA A CRIAÇÃO DE OBJETIVOS E O ESTABELECIMENTO DE PRIORIDADES.
    ESTIMATIVA DE CUSTOS E DE RECURSOS.
    DEFINIÇÃO, PLANEJAMENTO E EXECUÇÃO DE UM PROJETO.
  4. TÉCNICAS DE DIREÇÃO E LIDERANÇA ORGANIZACIONAL

    O objeto geral desta disciplina é conhecer e aprofundar-se nos estilos de liderança e direção, sua relação, diferenças, importância e enfoques teóricos, assim como as competências e habilidades necessárias para seu exercício. A matéria também interpreta a direção e a liderança como processos de complementares, holísticos, sistêmicos, integradores e determinantes na eficácia de uma organização.

    Alguns dos temas abordados na disciplina:

    IMPORTÂNCIA E ALCANCE DA LIDERANÇA ORGANIZACIONAL.
    ENFOQUES TEÓRICOS NO ESTUDO DA DIREÇÃO E DA LIDERANÇA.
    ESTILOS DE LIDERANÇA: AUTORIDADE, COMANDO E PODER.
    COMPETÊNCIAS E HABILIDADES DO LÍDER E DO DIRETOR.
  5. GESTÃO ESTRATÉGICA DOS RECURSOS HUMANOS<

    Esta matéria tem como objetivo geral desenhar o marco conceitual e metodológico para reconhecer o enfoque sistêmico e estratégico da atual Gestão de Recursos Humanos (GRH) concebida como processo que possibilite diagnosticá-la, projetá-la e controlá-la. A matéria centra-se nas concepções atuais da direção estratégica e no modelo funcional da GRH e sua tecnologia, junto com o planejamento estratégico dos recursos humanos e a otimização das planilhas.

    Alguns dos temas que serão abordados na disciplina:

    ESTRATÉGIA E GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS.
    O TALENTO HUMANO NA ORGANIZAÇÃO CONTEMPORÂNEA.
    TECNOLOGIA PARA O DIAGNÓSTICO, PROJEÇÃO E CONTROLE DA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS.
    OTIMIZAÇÃO DE PLANILHAS E OS PRINCIPAIS INDICADORES TANGÍVEIS E INTANGÍVEIS.
  6. RESOLUÇÃO/TRANSFORMAÇÃO DE CONFLITOS NOÂMBITO ORGANIZACIONAL

    A disciplina faz uma análise detalhada do conflito e da negociação no âmbito das organizações e, especialmente, no que se refere às relações laborais. Permite conhecer e compreender os aspectos teóricos e práticos relacionados com o conflito e com as estratégias de resolução mais utilizadas. Desta forma, analisa as habilidades necessárias para solucionar os conflitos que surgem no âmbito laboral e de negócios.

    Alguns dos temas abordados na disciplina:

    INTRODUÇÃO À TEORIA DO CONFLITO NAS NEGOCIAÇÕES.
    ASPECTOS PSICOSSOCIAIS DO CONFLITO NAS RELAÇÕES LABORAIS.
    ESTRATÉGIAS, COMPETÊNCIAS E HABILIDADES PARA RESOLVER CONFLITOS.
    ESTRUTURAS E PROCESSOS DA NEGOCIAÇÃO NO ÂMBITO EMPRESARIAL.
  7. SEMINÁRIO DE PESQUISA I

3ª PARTE: CURSOS DE ESPECIALIDADES

  1. ORIENTAÇÃO 1 - AUTOMAÇÃO DE PROCESSOS INDUSTRIAIS

    1. INTEGRAÇÃO DE SISTEMAS MECATRÔNICOS

      Esta disciplina forma os alunos no desenho, seleção, implantação, inovação e manutenção de sistemas mecatrônicos capazes de supervisionar, controlar e/ou automatizar as operações de plantas ou processos industriais que favoreçam os sistemas de produção utilizando instrumentação, redes industriais, aplicações em tempo real, controladores sequenciais e contínuos, além de outras tecnologias emergentes que aumentam sua eficiência e/ou o valor agregado de seus produtos, propiciando um desenvolvimento sustentável.

      Alguns dos temas abordados na disciplina:

      CRIAÇÃO DE SISTEMAS ISOLADOS.
      METODOLOGIA DA IMPLEMENTAÇÃO DE PROCESSOS.
      PROTOCOLOS INDUSTRIAIS.
      SISTEMAS HÍBRIDOS.
      CONTROLADORES.
    2. SISTEMAS ROBÓTICOS

      Após o estudo desta disciplina, o aluno será capaz de planejar e aplicar soluções na automação de processos de manufatura industrial mediante a seleção e aplicação de manipuladores robóticos para assegurar a qualidade, eficiência e rentabilidade de tais processos. Observam-se os elementos mais relevantes da robótica, como a estrutura mecânica, os transmissores e redutores, os atuadores, os sensores internos, a programação, entre outros.

      Alguns dos temas abordados na disciplina:

      MORFOLOGIA E PROGRAMAÇÃO DE ROBÔS.
      CINEMÁTICA: SISTEMAS DE COORDENADAS, MOVIMENTO RÍGIDO, TRANSFORMAÇÕES HOMOGÊNEAS E OUTROS.
      DINÂMICA: EULER-LAGRANGE, NEWTON-EULER E D’ALAMBERT.
      CONTROLE E PLANEJAMENTO DE TRAJETÓRIAS DE ROBÔS.
    3. AUTOMAÇÃO E CONTROLE

      Esta disciplina permite conhecer o papel desempenhado pelos autômatos programáveis e os métodos de controle em sua aplicação dentro do âmbito da tecnologia da organização industrial. Também instruirá o aluno no projeto e na realização de montagens de automatismo, assim como na aplicação da técnica do controle lógico programável para a realização de automatismos industriais.

      Alguns dos temas abordados na disciplina:

      CONCEITOS GERAIS SOBRE AUTÔMATOS PROGRAMÁVEIS.
      GRAFCET.
      REDES DE AUTÔMATOS.
      MANUTENÇÃO DE AUTÔMATOS.
    4. ADMINISTRAÇÃO DA PRODUÇÃO

      Esta disciplina tem por objetivo analisar, administrar e avaliar um sistema de produção de manufatura ou serviço, em termos de insumos, processos, produtos, fluxos de informação, fornecedores e clientes. O estudante também aprenderá as técnicas e as ferramentas da qualidade para alcançar uma administração mais eficiente dos recursos da organização, em função de um contexto de competitividade internacional.

      Alguns dos temas abordados na disciplina:

      A FUNÇÃO DAS OPERAÇÕES.
      ADMINISTRAÇÃO DE QUALIDADE TOTAL.
      CONTROLE ESTATÍSTICO DE PROCESSOS E AMOSTRAGEM DE ACEITAÇÃO.
      ADMINISTRAÇÃO DE PROCESSOS, TECNOLOGIA E PROJETOS.
    5. LOGÍSTICA

      A disciplina permite conhecer e aprofundar-se nos conceitos básicos e nas tendências atuais da gestão logística em uma perspectiva internacional. Neste sentido, descreve e sistematiza os aspectos fundamentais relacionados com os custos, inventários, distribuição e elementos alfandegários e tarifários, além de seu impacto na logística desenvolvida internacionalmente.

      Algunos temas que se abordan en la asignatura son:

      LOGÍSTICA INTERNACIONAL: AMBIENTE, DESAFIOS E OPORTUNIDADES.
      ESTRATÉGIA E PLANEJAMENTO DA LOGÍSTICA E DA CADEIA DE SUPRIMENTOS.
      ESTRUTURA E ELEMENTOS DOS CUSTOS LOGÍSTICOS.
      GESTÃO E CONTROLE DE INVENTÁRIOS.
      LOGÍSTICA DE DISTRIBUIÇÃO E PLANEJAMENTO DE RECURSOS.
      FORMALIDADES ALFANDEGÁRIAS.
    6. SEMINÁRIO DE PESQUISA II
  2. ORIENTAÇÃO 2 - AGROINDÚSTRIA

    1. SISTEMAS AGROINDUSTRIAIS

      Esta disciplina conduz o aluno à obtenção de conhecimentos teóricos e práticos para compreender a complexidade envolvida nos sistemas agroindustriais, o que permitirá uma tomada de decisões mais eficiente para definir opções de desenvolvimento de empresas agroindustriais em diferentes escalas de mercado. A disciplina analisará os sistemas agroindustriais e vai apresentar o desenho de um sistema agroindustrial dentro de uma cadeia produtiva.

      Alguns dos temas abordados na disciplina:

      CARACTERIZAÇÃO DOS SISTEMAS INDUSTRIAIS.
      CONTEXTOS DE MERCADO DOS SISTEMAS AGROINDUSTRIAIS.
      ELEMENTOS, SITUAÇÃO E PROBLEMÁTICA DOS SISTEMAS AGROINDUSTRIAIS.
      CADEIAS PRODUTIVAS E SISTEMAS AGROINDUSTRIAIS.
      ELEMENTOS PARA O PROJETO DE UM SISTEMA AGROINDUSTRIAL.
    2. PLANEJAMENTO E DISTRIBUIÇÃO DE INSTALAÇÕES

      Esta disciplina tem como objetivo geral decidir sobre a capacidade, a distribuição e a localização das instalações de uma empresa, permitindo condições de competitividade estratégica. O aluno conhecerá e compreenderá os fatores variáveis e os elementos técnicos mais relevantes que determinam a capacidade e a distribuição das instalações, assim como a localização das mesmas.

      Alguns dos temas abordados na disciplina:

      PLANEJAMENTO DA CAPACIDADE, TIPOS DAS INSTALAÇÕES E SUA DISTRIBUIÇÃO.
      ESTRATÉGIAS DE CAPACIDADES E FERRAMENTAS PARA O PLANEJAMENTO DA MESMA.
      USO DE SOFTWARE PARA A LOCALIZAÇÃO, O PLANEJAMENTO E A DISTRIBUIÇÃO DE INSTALAÇÕES.
      A GLOBALIZAÇÃO E A LOCALIZAÇÃO GEOGRÁFICA DAS INSTALAÇÕES.
      FATORES E MÉTODOS PARA A LOCALIZAÇÃO DAS INSTALAÇÕES.
    3. ENGENHARIA DA PRODUÇÃO NA INDÚSTRIA ALIMENTAR

      O aluno analisará os principais processos de elaboração de produtos agroindustriais, empregando a metodologia de aperfeiçoamento de operações, processos e produtos, e os fundamentos teóricos da engenharia de processos a fim de garantir um conhecimento básico do ponto de vista das operações e dos processos, permitindo um desempenho profissional adequado na agroindústria. A disciplina é formada sobre os equipamentos e os maquinários auxiliares da indústria agroalimentar, a gestão e o aproveitamento de resíduos e a transferência de tecnologia no setor.

      Alguns dos temas abordados na disciplina:

      PLANEJAMENTOS DE PLANTAS DE PRODUÇÃO E SISTEMAS DE PROCESSOS.
      DISTRIBUIÇÃO EM PLANTAS E INSTALAÇÕES INDUSTRIAIS.
      PROJETO DE OTIMIZAÇÃO DE INDÚSTRIAS AGROALIMENTARES DE MATÉRIAS PRIMAS ANIMAIS.
      PROJETO DE OTIMIZAÇÃO DE INDÚSTRIAS AGROALIMENTARES DE MATÉRIAS PRIMAS VEGETAIS.
      A VALORIZAÇÃO NO SETOR ALIMENTAR.
    4. TECNOLOGIAS DA INDÚSTRIA AGROALIMENTAR

      Esta matéria permite conhecer, compreender e aplicar a tecnologia destinada à produção, ao processamento, ao tratamento e à conservação dos alimentos, identificando as modificações geradas pela tecnologia. Também desenvolve-se a capacidade de utilizar os equipamentos auxiliares da indústria agroalimentar. Serão analisados, por um lado, os equipamentos das indústrias agroalimentares e, por outro lado, os processos do setor.

      Alguns dos temas abordados na disciplina:

      MAQUINÁRIO E INFRAESTRUTURA AGROPECUÁRIA
      INSTALAÇÕES DE REFRIGERAÇÃO, MECANISMOS DE PRESSÃO, CALDEIRAS, VAPOR.
      EQUIPAMENTOS E INDÚSTRIAS AUXILIARES DA INDÚSTRIA AGROALIMENTAR.
      INSTALAÇÕES DE PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO: SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E MAQUINÁRIO.
      TÉCNICAS DE PRODUÇÃO, SEPARATIVAS E DE CONCENTRAÇÃO NA INDÚSTRIA AGROALIMENTAR.
      TECNOLOGIA DE CONSERVAÇÃO E DE EMBALAGEM DE ALIMENTOS.
    5. LOGÍSTICA

      Esta disciplina permite conhecer e aprofundar-se nos conceitos básicos e nas tendências atuais da gestão logística em uma perspectiva internacional. Neste sentido, descreve e sistematiza os aspectos fundamentais relacionados com os custos, inventários, distribuição e elementos alfandegários e tarifários e seu impacto na logística desenvolvida internacionalmente.

      Alguns dos temas abordados na disciplina:

      LOGÍSTICA INTERNACIONAL: AMBIENTE, DESAFIOS E OPORTUNIDADES.
      ESTRATÉGIA E PLANEJAMENTO DA LOGÍSTICA E DA CADEIA DE SUPRIMENTOS.
      ESTRUTURA E ELEMENTOS DOS CUSTOS LOGÍSTICOS.
      GESTÃO E CONTROLE DE INVENTÁRIOS.
      LOGÍSTICA DE DISTRIBUIÇÃO E PLANEJAMENTO DE RECURSOS.
      FORMALIDADES ALFANDEGÁRIAS.
    6. SEMINÁRIO DE PESQUISA II
  3. ORIENTAÇÃO 3 - AMBIENTE E SUSTENTABILIDADE

    1. PLANEJAMENTO E DISTRIBUIÇÃO DE INSTALAÇÕES

      Esta disciplina tem como objetivo geral decidir sobre a capacidade, a distribuição e a localização das instalações de uma empresa, permitindo condições de competitividade estratégica. O aluno conhecerá e compreenderá os fatores variáveis e elementos técnicos mais relevantes que determinam a capacidade e a distribuição das instalações, assim como a localização das mesmas.

      Alguns dos temas abordados na disciplina:

      PLANEJAMENTO DA CAPACIDADE, TIPOS DAS INSTALAÇÕES E SUA DISTRIBUIÇÃO.
      ESTRATÉGIAS DE CAPACIDADE E FERRAMENTAS PARA O PLANEJAMENTO DA MESMA.
      USO DE SOFTWARE PARA A LOCALIZAÇÃO, PLANEJAMENTO E DISTRIBUIÇÃO DE INSTALAÇÕES.
      A GLOBALIZAÇÃO E A LOCALIZAÇÃO GEOGRÁFICA DAS INSTALAÇÕES.
      FATORES E MÉTODOS PARA A LOCALIZAÇÃO DAS INSTALAÇÕES.
    2. ENGENHARIA DE VALORIZAÇÃO E TRATAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS

      O objetivo geral desta disciplina é abordar a gestão dos resíduos químicos e industriais a partir de uma perspectiva não excludente, ou seja, envolvendo a maior parte dos departamentos e da política geral da empresa. Anteriormente, analisa-se a coleta seletiva como um método homogeneização de resíduos e diversos procedimentos de valorização. Desta forma, é realizada uma exposição dos conceitos teóricos básicos que permitirão compreender facilmente uma série de exemplos de reciclagem de resíduos leves, a maioria dos quais destinados para materiais de construção.

      Alguns dos temas abordados na disciplina:

      GESTÃO DOS RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS E INDUSTRIAIS.
      FABRICAÇÃO DE MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO A PARTIR DE RESÍDUOS.
      VIDRIFICAÇÃO: UMA TECNOLOGIA PARA A VALORIZAÇÃO DE RESÍDUOS.
      VALORIZAÇÃO DE RESÍDUOS QUÍMICOS.
    3. TRATAMENTO DE ÁGUAS RESIDUÁRIAS INDUSTRIAIS

      A partir de um enfoque fundamentalmente técnico, esta disciplina descreve a necessidade de incorporar a dimensão ambiental do recurso hídrico para assegurar a conservação, a qualidade e o uso racional da água. Após conhecer as características das águas residuárias, serão estudados alguns dos tratamentos em plantas de depuração às quais são submetidas estas águas. Serão apresentados tratamentos para a água destinada ao consumo humano e serão apresentadas em detalhes as características das águas residuárias segundo as atividades industriais que as geraram e os tratamentos mais adequados para o caso.

      Alguns dos temas que serão abordados na disciplina:

      DEPURAÇÃO DE ÁGUAS RESIDUÁRIAS INDUSTRIAIS.
      PROCESSOS FÍSICOS DE DEPURAÇÃO: A FILTRAGEM.
      PROCESSOS QUÍMICOS E BIOLÓGICOS DE DEPURAÇÃO.
      TRATAMENTO POR OSMOSE INVERSA.
      PROCESSOS DE TROCA IÔNICA.
      REUTILIZAÇÃO DE ÁGUAS RESIDUÁRIAS INDUSTRIAIS.
      POTABILIDADE DA ÁGUA.
    4. TRATAMENTO DE EFLUENTES GASOSOS

      Nesta disciplina descrevem-se os poluentes que podem causar efeitos prejudiciais sobre o ser humano e seu ambiente, produtos, principalmente, do emprego de combustíveis fósseis na geração de energia, dos sistemas de calefação e dos veículos a motor. Desta forma, são apresentados os conceitos de emissão e de imissão dos poluentes e as medidas corretivas impostas em todas as indústrias a fim de não se exceder os níveis de qualidade admissíveis durante o tempo que permaneçam em funcionamento a instalação em condições normais.

      Alguns dos temas abordados na disciplina:

      NATUREZA DOS POLUENTES ATMOSFÉRICOS.
      DISPERSÃO DOS POLUENTES NA ATMOSFERA.
      CONTROLE DA POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA.
      AMOSTRA DE POLUENTES ATMOSFÉRICOS.
      ANÁLISE DE POLUENTES ATMOSFÉRICOS.
    5. VALORIZAÇÃO ENERGÉTICA

      No contexto de uma solução integral da valorização de resíduos, a recuperação da energia tem um papel muito importante. Nesta disciplina, apresentam-se em detalhes os principais processos de valorização energética para obter energia elétrica dos resíduos que, em outras condições, seriam depositados em um aterro. Desta forma, é feita uma revisão minuciosa e facilmente compreensível com vários diagramas de exemplo do sistema de cogeração, processo utilizado e aceito para a produção combinada de potência e calor.

      Alguns dos temas abordados na disciplina:

      COMPOSIÇÃO E CAPACIDADE ENERGÉTICA DOS COMBUSTÍVEIS.
      COMBUSTÃO E DESTRUIÇÃO TÉRMICA DE RESÍDUOS.
      VALORIZAÇÃO ENERGÉTICA DOS RSU: A INCINERAÇÃO.
      OUTROS PROCESSOS DE CONVERSÃO ENERGÉTICA DA FRAÇÃO ORGÂNICA DOS RESÍDUOS.
      COGERAÇÃO.
    6. SEMINÁRIO DE PESQUISA II
  4. ORIENTAÇÃO 4 – ORGANIZAÇÃO E GESTÃO INDUSTRIAL

    1. ADMINISTRAÇÃO DA PRODUÇÃO

      Esta disciplina tem como objetivo analisar, administrar e avaliar um sistema de produção de manufatura ou serviço, em termos de insumos, processos, produtos, fluxos de informação, fornecedores e clientes. O aluno também aprenderá as técnicas e ferramentas da qualidade para o alcance de uma administração mais eficiente dos recursos da organização, em função de um contexto de competitividade internacional.

      Alguns dos temas abordados na disciplina:

      A FUNÇÃO DAS OPERAÇÕES.
      ADMINISTRAÇÃO DA QUALIDADE TOTAL.
      CONTROLE ESTATÍSTICO DE PROCESSOS E AMOSTRAGEM DE ACEITAÇÃO.
      ADMINISTRAÇÃO DE PROCESSOS, TECNOLOGIA E PROJETOS.
    2. ORGANIZAÇÃO DE EMPRESAS

      Esta disciplina tem como objetivo adquirir os conhecimentos básicos para conhecer o funcionamento da empresa, sua gestão, organização e o processo de tomada de decisões, especialmente na área de produção. Sempre dentro do marco da qualidade para a aplicação de seus princípios e métodos.

      Alguns dos temas abordados na disciplina:

      ORGANIZAÇÃO E AMBIENTE EMPRESARIAL.
      INTEGRAÇÃO EMPRESARIAL.
      SOCIOLOGIA, ECONOMIA E DIREITO NO AMBIENTE EMPRESARIAL.
    3. COACHING

      O objetivo geral da disciplina é aplicar as técnicas focadas à equipe humana de uma empresa ou organização para alcançar, por sua vez, a eficácia nos resultados, na motivação e na satisfação pessoal da equipe de trabalho, independentemente de seu nível sob o ponto de vista dos verdadeiros autores e dos responsáveis pela competitividade empresarial. Serão analisados, primeiramente, os fundamentos teóricos do coaching para, em seguida, compreender o processo.

      Alguns dos temas abordados na disciplina:

      O COACHING COMO MODELO DE DESENVOLVIMENTO.
      FILOSOFIA DO PROCESSO DE COACHING.
      A RELAÇÃO COACH-COACHEE.
      TÉCNICAS E FERRAMENTAS DO PROCESSO DE COACHING.
      COMPETÊNCIAS E HABILIDADES DO COACH.
    4. LOGÍSTICA

      Esta disciplina permite conhecer e aprofundar-se nos conceitos básicos e nas tendências atuais da gestão logística em uma perspectiva internacional. Neste sentido, descreve e sistematiza os aspectos fundamentais relacionados com os custos, inventários, distribuição e elementos alfandegários e tarifários e seu impacto na logística desenvolvida internacionalmente.

      Alguns dos temas abordados na disciplina:

      LOGÍSTICA INTERNACIONAL: AMBIENTE, DESAFIOS E OPORTUNIDADES.
      ESTRATÉGIA E PLANEJAMENTO DA LOGÍSTICA E DA CADEIA DE SUPRIMENTOS.
      ESTRUTURA E ELEMENTOS DOS CUSTOS LOGÍSTICOS.
      GESTÃO E CONTROLE DE INVENTÁRIOS.
      LOGÍSTICA DE DISTRIBUIÇÃO E PLANEJAMENTO DE RECURSOS.
      FORMALIDADES ALFANDEGÁRIAS.
    5. PLANEJAMENTO E DISTRIBUIÇÃO DE INSTALAÇÕES

      Esta disciplina tem como objetivo geral decidir sobre a capacidade, a distribuição e a localização das instalações de uma empresa, permitindo condições de competitividade estratégica. O aluno conhecerá e compreenderá os fatores variáveis e elementos técnicos mais relevantes que determinam a capacidade e a distribuição das instalações, assim como a localização das mesmas.

      Alguns dos temas abordados na disciplina:

      PLANEJAMENTO DA CAPACIDADE, TIPOS DAS INSTALAÇÕES E SUA DISTRIBUIÇÃO.
      ESTRATÉGIAS DE CAPACIDADE E FERRAMENTAS PARA O PLANEJAMENTO DA MESMA.
      USO DE SOFTWARE PARA A LOCALIZAÇÃO, PLANEJAMENTO E DISTRIBUIÇÃO DE INSTALAÇÕES.
      A GLOBALIZAÇÃO E A LOCALIZAÇÃO GEOGRÁFICA DAS INSTALAÇÕES.
      FATORES E MÉTODOS PARA A LOCALIZAÇÃO DAS INSTALAÇÕES.
    6. SEMINÁRIO DE PESQUISA II
  5. ORIENTAÇÃO 5 – P+D

    1. ADMINISTRAÇÃO DA PRODUÇÃO

      Esta disciplina tem como objetivo analisar, administrar e avaliar um sistema de produção de manufatura ou serviço, em termos de insumos, processos, produtos, fluxos de informação, fornecedores e clientes. O aluno também aprenderá as técnicas e ferramentas da qualidade para o alcance de uma administração mais eficiente dos recursos da organização, em fundação de um contexto de competitividade internacional.

      Alguns dos temas abordados na disciplina:

      A FUNÇÃO DAS OPERAÇÕES.
      ADMINISTRAÇÃO DA QUALIDADE TOTAL.
      CONTROLE ESTATÍSTICO DE PROCESSOS E AMOSTRAGEM DE ACEITAÇÃO.
      ADMINISTRAÇÃO DE PROCESSOS, TECNOLOGIA E PROJETOS.
    2. PROJETOS DE INOVAÇÃO

      Esta matéria analisa os diferentes âmbitos da criação, examinando tanto os condicionantes do contexto, como os requerimentos do usuário. Também se observa a gestão da confiança, o atendimento para a qualidade e o risco; estuda-se, ainda, a inovação como ferramenta de aperfeiçoamento e agregação de valor por parte do produtor. Neste sentido, a inovação não é apenas uma contribuição tangível, mas, sim, uma ferramenta de adição de valor a partir do intangível.

      Alguns dos temas abordados na disciplina:

      NOVOS CENÁRIOS DE CRIAÇÃO.
      PLANEJAMENTO, GARANTIA E CONTROLE DE QUALIDADE.
      CONTROLE DOS PROCESSOS E DO ALCANCE DE OBJETIVOS EM TEMPO E EM FORMA.
      PLANOS DE QUALIDADE.
      CONCEITOS DE INOVAÇÃO E VALOR E RELAÇÕES ENTRE AMBOS.
    3. GESTÃO DA INOVAÇÃO

      O objetivo geral desta disciplina é ocupar-se da analise das relações entre os conceitos de inovação, criatividade, produtividade e competitividade. Estuda-se, também, o relativo à criação do produto e os agentes de inovação tecnológica, assim como outro importante campo da gestão da inovação: a propriedade industrial e intelectual. A disciplina apresenta até que ponto a tecnologia impactou, do qualitativo ao quantitativo, nas áreas de produto e inovação.

      Alguns dos temas abordados na disciplina:

      INOVAÇÃO ESTRATÉGICA.
      CRIATIVIDADE A SERVIÇO DA PRODUÇÃO.
      EXIGÊNCIAS DA COMPETITIVIDADE.
      DA SOCIEDADE EM REDE ATUAL À SOCIEDADE DO CONHECIMENTO.
      ATORES DA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA.
      METODOLOGIA NACIONAL E INTERNACIONAL PARA O REGISTRO DE PATENTES E DE PROPRIEDADE INTELECTUAL.
    4. PLANEJAMENTO E DISTRIBUIÇÃO DE INSTALAÇÕES

      Esta disciplina tem como objetivo geral decidir sobre a capacidade, a distribuição e a localização das instalações de uma empresa, permitindo condições de competitividade estratégica. O aluno conhecerá e compreenderá os fatores variáveis e elementos técnicos mais relevantes que determinam a capacidade e a distribuição das instalações, assim como a localização das mesmas.

      Alguns dos temas abordados na disciplina:

      PLANEJAMENTO DA CAPACIDADE E TIPOS DAS INSTALAÇÕES E SUA DISTRIBUIÇÃO.
      ESTRATÉGIAS DE CAPACIDADE E FERRAMENTAS PARA O PLANEJAMENTO DA MESMA.
      USO DE SOFTWARE PARA A LOCALIZAÇÃO, PLANEJAMENTO E DISTRIBUIÇÃO DE INSTALAÇÕES.
      A GLOBALIZAÇÃO E A LOCALIZAÇÃO GEOGRÁFICA DAS INSTALAÇÕES.
      FATORES E MÉTODOS PARA A LOCALIZAÇÃO DAS INSTALAÇÕES.
    5. PESQUISA E DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO

      Esta disciplina tem como missão conhecer o conceito e os mecanismos do desenvolvimento e da inovação, e a transferência tecnológica no contexto da globalização da economia. Destaca-se a gestão da tecnologia como resposta aos paradigmas tecnológicos emergentes e sua relação com a administração dos direitos de propriedade intelectual. O objetivo principal é, portanto, conhecer os mecanismos através dos quais são realizados os processos de inovação, desenvolvimento e transferência tecnológica.

      Alguns dos temas abordados na disciplina:

      ANTECEDENTES E FUNDAMENTOS DA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA.
      A ADMINISTRAÇÃO DE PROJETOS TECNOLÓGICOS.
      A EVIDÊNCIA EMPÍRICA DA INOVAÇÃO TECNOLÓGICA.
      GESTÃO DA INOVAÇÃO E A TECNOLOGIA.
    6. SEMINÁRIO DE PESQUISA II

4ª PARTE: PROJETO FINAL/DISSERTAÇÃO DE MASTER

O procedimento pautado para a realização do Projeto Final, do início ao fim, é descrito na Norma do Projeto Final, acessível a partir do Campus Virtual. Tal norma, estruturada em três fases, com seus passos correspondentes, é o guia que o aluno deve seguir para desenvolver seu Projeto Final de forma satisfatória.

Durante todo o processo, o aluno contará com a assessoria da equipe acadêmica e de um Orientador de Master, especialista no tema em estudo.

Direção

  • Dr. Luis Dzul López. Doutor em Engenharia de Projetos: Ambiente, Qualidade e Prevenção. Engenheiro Civil. Especialista em projetos de cooperação internacional. Reitor da Universidade Internacional Ibero-americana (México).
  • Dr. Eduardo Garcia Villena. Doutor em Engenharia de Projetos: Ambiente, Qualidade e Prevenção. Mestre em Engenharia e Tecnologia Ambiental. Engenheiro Industrial.

Professores e Autores

  • Dr. Arturo Ortega-Mansilla. Doutor Engenheiro em Eletrônica pela Universidade de Barcelona. Engenheiro em Eletrônica pela Universidade de Barcelona. Engenheiro em Telecomunicações pela Universidade Ramón Llull, Espanha. Coordenador da Área I D i – Área de Projetos, FUNIBER.
  • Dr. David Barrera Gómez. Doutor Engenheiro pela Universidade Politécnica da Catalunha e MBA pela Escola Técnica Superior de Engenheiros Industriais de Barcelona, UPC. Consultor de negócios, tecnologia e soluções empresariais. Professor da Universidade Internacional Ibero-americana.
  • Dr. Roberto M. Álvarez. Doutor em Engenharia de Projetos pela Universidade Politécnica da Catalunha, Espanha. Mestre em Gerenciamento de Projetos e Desenho pelo Politécnico de Milão, Itália. Professor da Universidade de Buenos Aires, Argentina. Professor da Universidade Internacional Ibero-americana
  • Dra. Izel Marez. Doutora em Engenharia de Projetos. Mestre em Gestão e Auditorias Ambientais.
  • Dra. Alina Eugenia Pascual Barrera. Doutora em Ciências do Mar. Especialista em dispersão de poluentes. Professora da Universidade Internacional Ibero-americana.
  • Dr. Victor Jiménez. Doutor em Engenharia de Projetos: Ambiente, Qualidade e Prevenção. Professor da Universidade Metropolitana do México.
  • Dr. Fermín Ferriol Sánchez. Doutor em Ciências da Educação pela Universidade de Havana. Professor da Universidade Internacional Ibero-americana.
  • Dra. Martha Velasco. Doutora em Projetos de Inovação Tecnológica. Especialista em Gestão de Projetos. Mestre em Ciências na Administração e na Engenharia Industrial. Pesquisadora em Desenvolvimento Sustentável e Compromisso Social. Professora da Universidade Internacional Ibero-americana.
  • Dr (c). Saúl Domingo Soriano. Doutorando pela Universidade de León. Mestre em Direção Geral de Empresas pelo Instituto Catalão de Tecnologia de Barcelona. Mestre em Consultoria e Tecnologias da Informação e-Business pela Universidade de Las Palmas de Gran Canaria, Espanha. Diretor de Projetos Finais/Dissertações de Master e Especializações da FUNIBER.
  • Dr (c). Diego J. Kurtz. Doutorando em Engenharia e Gestão do Conhecimento pela Universidade Federal de Santa Catarina. Master em International Business - Wiesbaden Business School, Alemanha. Pesquisador do Núcleo de Gestão para a Sustentabilidad e Pesquisador Junior do Proyecto Dynamic SME. Coordenador de Programas e Professor da FUNIBER.
  • Dra (c). Julién Brito Ballester. Doutorando em Projetos pela Universidade Internacional Ibero-americana. Mestre em Psicologia Laboral e Organizacional pela Universidade de Havana, Cuba. Mestre em Gestão de Recursos Humanos pela Universidade Autônoma de Barcelona. Mestre em Coaching Sistêmico pela Universidade Autônoma de Barcelona. Consultora Internacional e Especialista em Gestão de Recursos Humanos, Formação, Desenvolvimento e Competências profissionais.
  • Dra (c). Carmen Lilí Rodríguez Velasco. Doutoranda em Educação pela Universidade Internacional Ibero-americana. Mestre em Psicologia Laboral e Organizacional pela Universidade de Havana, Cuba. Coordenadora Acadêmica Internacional da Área de Desenvolvimento Diretivo, Organização Empresarial e Recursos Humanos, FUNIBER.
  • Dra (c). Lina Pulgarín Osorio. Doutorando em Projetos pela Universidade Internacional Ibero-americana. Mestre em Gestão Integrada: Prevenção, Ambiente e Qualidade pela Universidade Politécnica de Catalunha. Coordenadora de Programas e Professora da FUNIBER.
  • Dra (c). María Eugenia Luna Borgaro. Doutoranda em Educação pela Universidade Internacional Iberoamericana. Mestre em Recursos Humanos e Gestão do Conhecimento da Universidade de León, Espanha. Especialista em Gestão de Recursos Humanos e Habilidades Diretivas. Professora da FUNIBER.

Bolsa de Trabalho

A Fundação Universitária Iberoamericana (FUNIBER) destina periodicamente um valor econômico de caráter extraordinário para Bolsas de estudo em Formação FUNIBER.

Para solicitá-la, preencha o formulário de solicitação de informação que aparece no portal da FUNIBER ou entre em contato diretamente com a sede da fundação em seu país para saber se é necessário fornecer alguma informação adicional.

Uma vez recebida a documentação, o Comitê Avaliador examinará a idoneidade de sua candidatura para a concessão de um incentivo econômico na forma de Bolsa de estudo em Formação FUNIBER.