Serviços de Valor Agregado das Tecnologias

Apresentação do Programa

A evolução e as convergências das tecnologias permitiram que, hoje em dia, principalmente, sejam referências importantes em uma série de novos serviços nas organizações.

1.1. Importância de uma formação graduada em serviços de valor agregado das tecnologias

A grande presença das TICs nas organizações e os altos investimentos realizados para adquiri-las, implantá-las, operá-las e explorá-las mostraram a necessidade de reconhecer os serviços que delas se podem extrair ou gerar para dar valor adicional a pessoas, processos, sistemas e às próprias tecnologias dentro das organizações, bem como a produtos e serviços próprios oferecidos pelas organizações.

Nesse sentido, o Programa Serviços de Valor Agregado das Tecnologias tem como objetivo compreender como situar as TICs nas organizações como agentes de valor agregado, estimuladores da mudança, mecanismos de reformas e agentes da nova economia através de diversos serviços vistos no programa.

1.2. Conceitos centrais do programa: serviços de valor agregado e TI

Um serviço de valor agregado é um serviço Novo que não demanda ou incorre em altos custos, mas suas consequências ou resultados são de grande rentabilidade às organizações. As TIs têm a qualidade de permitir que estes serviços ocorram de muitas maneiras, a partir de que se assuma que sejam tecnologias transversais às organizacionais.

As TIs, como instrumentos transversais às organizações, operam em todos os seus âmbitos. Além disso, ao operar sobre informação e conhecimento, trabalha-se com um bem maleável que permite aproveitar esforços e resultados de uma área a outra.

A quem é dirigido

A metodologia de formação proposta, somada à clareza, amplitude e didática da elaboração dos conteúdos, permite direcionar o programa de Serviços de Valor Agregado das Tecnologias tanto a pessoas provenientes ou não da informática, e que queiram conhecer as ferramentas TICs que convertem uma organização tradicional em uma organização em rede baseada em sistemas tecnológicos. Possibilita que pessoas com ou sem formação na área de informática ou de sistemas, e que ocupem posições de tratamento de informação em funções ou cargos de administração, secretaría, call center, escritórios de advocacia, administração educacional, serviços de tradução, bibliotecas e gestão de documentos, gestão de escritórios, escritórios de projetos, entre outros, possam dominar as TI essenciais na gestão de informação de uma organização, instituição ou empresa pública ou privada.

Titulação

Ao aprovar todas as Disciplinas e satisfazendo todas as exigências acadêmicas, administrativas e financeiras previstas e exigidas pela Fundação Universitária Iberoamericana e pela universidade ou entidade que regula o programa, será expedido o grau ou título respectivo. O nome do grau ou título a obter pode variar em função da legislação de cada país e da norma de cada universidade ou entidade que o emitir.

Estrutura do Programa

A duração estimada do programa depende do perfil acadêmico e dos requisitos exigidos pela universidade correspondente.

Em relação à distribuição do tempo, estabelece-se que:

  • Por ser um Programa a distância e não estar sujeito a aulas presenciais, não se estabelece uma data específica de início. Por isso, o aluno pode formalizar a matrícula em qualquer momento, sempre que houver vagas disponíveis.
  • Por motivos acadêmicos e de aprendizado, dispõe-se de uma duração mínima do programa de 3 meses, contabilizados a partir da data de entrega do primeiro volume até a data de recebimento do último exercício de avaliação.
  • O tempo máximo de que se dispõe para realizar o Programa é de 9 meses. Neste período, o aluno deve ter sido aprovado em todas as atividades avaliadas.

Para o caso de pessoas sem título prévio, a estrutura de créditos do programa é a seguinte:

  CRÉDITOS1 DURAÇÃO2 HORAS
1ª Parte: Disciplinas 20 4 200
2ª Parte: Estudo e Resolução de Caso 10 2 100
TOTAL 30 6 300

Para o caso de pessoas com título prévio e que tenham cursado um programa que requereu delas a realização de um Trabalho Final, a estrutura de créditos do programa é a seguinte:

  CRÉDITOS3 DURAÇÃO4 HORAS
1ª Parte: Disciplinas 20 4 200
2ª Parte: Estudo e Resolução de Caso 10 2 100
3ª Parte: Trabalho Final 10 3 100
TOTAL 40 9 400

1. A equivalência em créditos pode variar conforme a universidade que titule.
2. Duração em meses.
3. A equivalência em créditos pode variar conforme a universidade que titule.
4. Duração em meses.

Objetivos

Objetivo geral:

  • Situar as TICs nas organizações como agentes de valor agregado, estimuladores da mudança, mecanismos de reformas e agentes da nova economia.

Objetivos específicos:

  • Saber como desenvolver projetos de integração tecnológica.
  • Conhecer os sistemas, tecnologias e processos que permitam obter, para as organizações, serviços de valor agregado a partir das TICs.

Saídas Profissionais

As saídas profissionais do programa de Serviços de Valor Agregado das Tecnologias centram-se em realizar trabalhos de análise de valor agregado de tecnologias, o que permite desempenhar funções de analista organizacional de tecnologias, consultor empresarial, assessor de funções diretivas ou de tomada de decisões.

Plano de estudos

O programa de Serviços de Valor Agregado das Tecnologias é composto de:

  • 1ª Parte: Disciplinas (220 HORAS)

Cada disciplina permite conhecer e compreender diversos serviços que emanem das TICs, desde seus fundamentos teóricos, conceituais e históricos, até sua implementação organizacional, social e tecnológica. O objetivo é conseguir uma visão global que permita compreender como surgem e são administrados diversos serviços.

As disciplinas e horas correspondentes que compõem esta parte são mostradas na seguinte tabela:

Estas disciplinas, apesar de serem interdependentes, são sequenciais e estão estruturadas conforme uma ordem pedagógica coerente. Cada uma se divide em unidades temáticas básicas ou capítulo, cujo conteúdo inclui material impresso que deve ser estudado para responder satisfatoriamente às diversas atividades de avaliação.

  • 2ªParte: Estudo e Resolução de Caso (100 HORAS)

O objetivo é resolver um caso de enfoque eminentemente prático, proposto pelo próprio aluno ou pelos tutores.

  • 3ª Parte: Trabalho Final (100 HORAS)

O objetivo é realizar um Trabalho Final do programa destinado a colocar em prática os conhecimentos adquiridos no programa. O Trabalho Final é realizado de acordo com as normas de cada universidade ou organização que emite o título.

Descrições dos Cursos

  1. BUSINESS INTELLIGENCE E GESTÃO DOCUMENTAL

    Esta disciplina permite conhecer o campo da Inteligência de Negócios em seus aspectos técnicos como de negócios, para, em seguida, finalizar com uma revisão do impacto no gerenciamento da informação e de conteúdos documentais.

    DOS DADOS À INFORMAÇÃO
    Introdução. Definição de Business Intelligence. A problemática atual do acesso à informação. A evolução dos sistemas de informação. Necessidade dos sistemas de Business Intelligence. Condições para adotar um sistema de Business Intelligence. Requerimentos básicos de um sistema de Business Intelligence. Custos e benefícios de implementar um sistema de Business Intelligence.
    ARMAZENAMENTO DE INFORMAÇÃO: FUNDAMENTOS DO DATAWAREHOUSING
    Introdução. Definição de um datawarehouse. Características dos dados contidos em um datawarehouse. Datamarts. O catálogo de um datawarehouse. Alinhamento da tecnologia com os objetivos de negócio. Critérios tecnológicos.
    DATAWAREHOUSE (I): FERRAMENTAS DE VERIFICAÇÃO
    Introdução. Sistemas de suporte à decisão. Ferramentas de consulta e relatórios. Ferramentas de análise multidimensional.
    DATAWAREHOUSE (II): TÉCNICAS PARA A DESCOBERTA DE INFORMAÇÃO
    Descoberta de informação e mineração de dados. Dos dados às decisões. Verificação de hipótese frente à descoberta de informação. O processo genérico de mineração de dados. Operações de mineração de dados. Técnicas de mineração de dados. Agentes que intervêm em um projeto datamining. Metodologias de desenvolvimento para os projetos de datamining. Aplicações de mineração de dados.
    ACESSO E RECUPERAÇÃO DA INFORMAÇÃO TEXTUAL
    A problemática do acesso da informação na internet. Mecanismos de busca na internet. Possíveis soluções. O que atrai as empresas para a mineração de textos? Cenários de trabalho e principais operações de mineração de textos. Ferramentas de análise de textos. Motores de busca avançados. Coleta de informação na internet.
  2. INTEGRAÇÃO DOS SISTEMAS DE GESTÃO EMPRESARIAL

    Esta disciplina dá uma visão ampla e extensa do conceito e noção de integração empresarial mediante a informação, analisando a integração do aspecto organização e tecnologia, e os conceitos essenciais da integração baseada nas TICs, como ERP, SCM e CRM.

    VISÃO ORGANIZACIONAL DA INTEGRAÇÃO: FORNECEDORES, CLIENTES E SISTEMAS.
    Introdução. Fundamentos. Cadeia de valor. Exemplo de Integração de Cadeias de Fornecimento. Reflexões..
    VVISÃO TECNOLÓGICA DA INTEGRAÇÃO: ASPECTOS CONCEITUAIS DE INTEGRAÇÃO E-BUSINESS
    Importância de e-business. Mudança organizacional. Estratégia do negócio. E-Business: implementação. Business enginering.
    SISTEMAS DE PLANEJAMENTO EMPRESARIAL (ERP)
    Aspectos conceituais. Integração na gestão da informação. Integração dos ERPS. Seleção do provedor. Impacto estratégico no retorno do investimento. Implementação. Desafio estratégico aos ERP. Principais fabricantes espanhóis.
    GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS NA ERA DIGITAL
    Introdução. Na mudança nas empresas. Gestão de Recursos Humanos. A tecnologia na gestão do recurso humano.
    GESTÃO DAS RELAÇÕES DE PROVEDORES (SCM)
    Introdução. A cadeia de fornecedores. Definição. Gestão da cadeia de fornecedores. Realização do SCM no e-business. Reflexões.
    GESTÃO DE RELAÇÕES DOS CLIENTES (CRM)
    Introdução. Aspectos conceituais. Estratégia. Implementação. Seleção do provedor. Integração. Fabricantes. CRM e comércio eletrônico: e-CRM.
    ANEXO: MODELO BÁSICO DE UM SOFTWARE ERP
  3. GESTÃO DO CONHECIMENTO E APRENDIZAGEM ORGANIZACIONAL

    O objetivo geral desta disciplina é conhecer detalhadamente o espectro de conceitos, instrumentos e tecnologias associadas à gestão do conhecimento e da aprendizagem organizacional.

    CONHECIMENTO: NATUREZA E VALOR ORGANIZACIONAL
    Fundamentos. O conhecimento (definições, propriedades, classificações, conhecimento explícito versus conhecimento tácito). A sociedade do conhecimento: uma evolução social. A dimensão organizacional do conhecimento (Modelo de Nonaka e Takeuchi, Características intrínsecas do conhecimento, Residencialidade e procedência do conhecimento). Informação versus conhecimento. Espirais de conhecimento. Conhecimento: medição (capital intelectual, inventário de conhecimento, modelos de medição de intangíveis, Modelo Intelect). KAM (Knowledge Assessment Methodology -2012).
    GESTÃO DO CONHECIMENTO: FUNDAMENTOS
    Introdução. As Tecnologias da Informação. Missões da Gestão do Conhecimento. Objetivos da Gestão do Conhecimento. Conclusões.
    GESTÃO DO CONHECIMENTO: TECNOLOGIAS E SISTEMAS
    Principais funções das ferramentas sob a visão centrada no conhecimento (armazenamento, distribuição). A modificação do conhecimento explícito. Classificação das ferramentas em função do processo de gestão do conhecimento (Gestão de documentos, Sistemas workflow, Portais corporativos e redes de conhecimento, Sistemas e-Learning, Sistema de trabalho colaborativo, Ferramentas de Business Intelligence).
    APRENDIZAGEM ORGANIZACIONAL
    A nova cultura empresarial: a aprendizagem organizacional. O ativo e sua medição nas organizações. Medição do capital intelectual (Nonaka-Takeuchi, Edvinsson, Bueno, Sveiby, Balanced scorecard (Quadro de Comando Integral), Kaplan-Norton). Modelos de maturidade. Modelos de maturidade de capacidade (Software Capability Maturity Model -SW-CMM, SPICE, Bootstrap, Trillium). Modelos de maturidade de gestão de projetos (OPM3 -Organizational Project Management Maturity Model-, PMMM -Project Management Maturity Model). Modelo de maturidade para pesquisa-ação em sistemas de informação. Modelos de maturidade de habilidade de mudança (Change proficiency maturity model). Modelos de maturidade de gestão do conhecimento.
    RUMO AOS NOVOS PARADIGMAS EM DOCÊNCIA E PESQUISA: E-LEARNING
    Introdução: a formação na sociedade do conhecimento. Rumo a um novo modelo de ensino e aprendizagem (Tendências na formação, Novas vias de aprendizagem, Contribuições das tecnologias da informação à formação/aprendizagem, Redes de informação/formação, Perspectivas de futuro, Docência e aprendizagem em um contexto rico em informação -internet- O WWW como ferramenta educativa, Rumo a um modelo baseado em Web para docência e aprendizagem). Os desafios (Web e mudanças, Âmbito estratégico). As TIC na educação: anotações a partir das experiências (Aspectos positivos -Sobre materiais e recursos digitais, Sobre 2.0: blogs, wikis e redes sociais, -Sobre as redes sociais-, Aspectos negativos, A formação on-line). As TIC na formação: desafios de gestão formativa e do processo de formação (funções, área e desafios das TIC na formação).
  4. DIREÇÃO E GESTÃO DE PROJETOS TIC

    Esta disciplina apresenta boas práticas de gestão de projetos tecnológicos para negócios eletrônicos a partir de um paradigma que une a visão de negócios com a visão tecnológica, e tomando por base, por um lado, o PMBOK como fonte de boas práticas de gestão e, por outro lado, a engenharia de software, como fonte de boas práticas vinculadas a projetos TIC..

    TEORIA DO PROJETO E-BUSINESS
    Introdução. Projetos: uma visão teórica. Teoria de Projetos. Teoria do projeto e-business.
    GESTÃO DE PROJETOS
    Introdução. Noção de Gestão de Projetos. A gestão de projetos conforme o PMBOK. Modelos de Maturidade de Gestão de projetos.
    ENGENHARIA DE SOFTWARE E GESTÃO DE PROJETOS
    Introdução. Análise de projetos por tipo de dimensão. O problema do desenvolvimento informático (problemas, causas, formas de evitar).
    METODOLOGIA DE IMPLANTAÇÃO E-BUSINESS
    Introdução. Definir a estratégia. Definir a aplicação e-business. Desenvolvimento e implementação. Uso e evolução. Exemplo. Soluções e-business.

Nota: O conteúdo do programa acadêmico pode ser submetido a ligeiras modificações, em função das atualizações ou das melhorias efetuadas.

Direção

  • Dr. Arturo Ortega-Mansilla. Doutor Engenheiro em Eletrônica, pela Universidad de Barcelona. Engenheiro em Eletrônica pela Universidad de Barcelona. Engenheiro em Telecomunicações pela Universidad Ramón Llull, Espanha. Coordenador da Área P D i – Área de Projetos, FUNIBER.
  • Dr. Jon Arambarri Basáñez. Doutor em Direção de Projetos de Engenharia, pela Universidad Politécnica de Cataluña e Universidad de Córdoba. MBA Executivo, Instituto de Economia Aplicada à Empresa, Universidad del País Vasco. Engenheiro Superior de Telecomunição, Escuela Superior de Ingenieros de Bilbao. Diretor de P D i em www.virtualware.es;Multimídia, Animação 3D & Ambientes Virtuais Interativos.
  • Ms. Saúl Domingo Soriano. Mestre em Direção Geral de Empresas pelo Institut Català de Tecnologia de Barcelona. Mestre em Consultoria e Tecnologias da Informação e-Business pela Universidad de Las Palmas de Gran Canaria, Espanha. Diretor de Projetos Finais de Mestrado e Especializações, FUNIBER.
  • Ms. Angélica Agudelo Reina. Mestrado e Pós-graduação em SAP MM e SD (Materials Management – Sales and Distribution). Ampla experiência em consultoria funcional de ERP’s em diferentes setores da indústria, e em análise de operações industriais. Coordenadora Acadêmica do Programa Mestrado em Direção Estratégica de Tecnologias da Informação e suas Especializações.

Professores e Autores

  • Dra. Isabel De La Torre Díez. Doutora em Telecomunicações pela Universidad de Valladolid. Professora da Universidad de Valladolid em temáticas vinculadas a serviços telemáticos, base de dados, business intelligence. Pesquisador Pós-doutoral sobre Informática Biomédica.
  • Dr. Fernando Izquierdo Álvarez. Engenheiro Superior de Telecomunicação e de Gestão de RH. e Ciências Empresariais - MBA IESE. Mestrado em Redes e Serviços avançados em Internet pela Universidad Politécnica de Madrid. Ampla experiência em empresas do setor de novas tecnologias TIC. Consultor internacional.
  • Dra. Marina Aguado. Doutora em Telecomunicações pela Universidad del País Vasco. MSc. in Management of Manufacturing Systems pela Universidad de Cranfield, Inglaterra. Experiência em Projetos P D i. Professora da Universidad del País Vasco.
  • Dr. David Barrera Gómez. Doutor Engenheiro pela Universidad Politécnica de Cataluña e MBA pela Escuela Técnica Superior de Ingenieros Industriales de Barcelona, UPC. Consultor de negócio, tecnologia e soluções empresariais. Professor da Universidad Internacional Iberoamericana.
  • DraIzel Marez. Doutora em Engenharia de Projetos: Ambiente, Segurança, Qualidade e Comunicação pela Universidad Politécnica de Cataluña. Professora da Universidad Internacional Iberoamericana.
  • Dr. Santos Gracia Villar. Doutor em Engenharia Industrial pela Universidad Politécnica de Cataluña. Expert em Projetos de Cooperação e Gestão Empresarial.
  • Dra. Beatriz Sainz De Abajo. Doutora pela Universidad de Córdoba. Professora do Departamento de Teoria do Sinal, Comunicações e Eng. Telemática, da Universidad de Valladolid.
  • Dr. Roberto M. Álvarez. Doutor em Engenharia de Projetos pela Universidad Politécnica de Cataluña, Espanha. Mestrado em Gerenciamento de Projeto e de Desenho pela Politécnica de Milão, Itália. Professor da Universidad de Buenos Aires, Argentina. Professor da Universidad Internacional Iberoamericana.
  • Dr. Eduardo García Villena. Doutor em Engenharia de Projetos: Ambiente, Segurança, Qualidade e Comunicação, pela Universidad Politécnica de Cataluña. Diretor Acadêmico da Área de Meio Ambiente da Fundación Universitaria Iberoamericana.
  • Dr. Jon Arambarri Basáñez. Doutor em Direção de Projetos de Engenharia, pela Universidad Politécnica de Cataluña e Universidad de Córdoba. MBA Executivo, Instituto de Economia Aplicada à Empresa, Universidad del País Vasco. Engenheiro Superior de Telecomunição, Escuela Superiorde Ingenieros de Bilbao. Diretor de P D i em www.virtualware.es; Multimídia, Animação 3D & Ambientes Virtuais Interativos.
  • Dr. (c) Diego J. Kurtz. Doutorado em Engenharia e Gestão do Conhecimento pelo PPGEGC – UFSC (em processo). Mestrado em International Business - Wiesbaden Business School, Alemanha. Pesquisador do Núcleo de Gestão para a Sustentabilidade(www.ngs.ufsc.br)e Pesquisador Junior do Projeto Dynamic SME(www.dynamic-sme.org).Coordenador de Programas e Professor da FUNIBER.
  • Dr. (c) Saúl Domingo Soriano. Doutor candidato pela Universidad de León. Mestre em Direção Geral de Empresas pelo Institut Català de Tecnologia de Barcelona. Mestre em Consultoria e Tecnologias da Informação e-Business pela Universidad de Las Palmas de Gran Canaria, Espanha. Diretor de Projetos Finais de Mestrado e Especializações, FUNIBER.
  • Dra. (c) Gabriela Larrea Madinyá. Doutorado em Projetos, pela Universidad Internacional Iberoamericana (em processo). Mestrado em Direção Estratégica pela Universidad Politécnica de Cataluña. Expert em estratégias de comunicação e comercialização aplicando novas tecnologias.
  • Ms. Pedro Chávez Chiclayo. Engenheiro de Computação e Sistemas pela Universidad Antenor Orrego de Trujillo (Peru). Master in Computer Science na Universidade Estatal de Campinhas em São Paulo (Brasil).
  • Ms. Virginia Saman. Engenheira em Informática de Gestão da Universidad Santa María de Chile Campus Guayaquil. Mestrado em Logística (França).

Bolsa de Trabalho

A Fundação Universitária Iberoamericana (FUNIBER) destina periodicamente uma partida econômica com caráter extraordinário para o oferecimento de Bolsas de estudo em Formação FUNIBER. 

Para solicitá-la, preencha o formulário de solicitação de informação que aparece no portal FUNIBER ou entre em contato diretamente com a sede da fundação em seu país para saber se é necessário proporcionar alguma informação adicional.

Uma vez finalizado o Programa Acadêmico, os alunos que assim o desejarpoderão ingressar na Bolsa de Trabalho Ambiental. Para isso, deverãoremeter currículum vitae, indicando dados pessoais, acadêmicose de experiência profissional. Assim, o aluno estará informado dasofertas de trabalho que venham a surgir e que se ajustem a seu perfilprofissional.