Direção e Habilidades para a Gestão de Centros Esportivos

Apresentação do Programa

Hoje em dia, as organizações esportivas estão crescendo a um ritmo acelerado. Isso reforça a necessidade de profissionais que tenham uma formação integral em cada área que forma o que é a gestão de uma organização esportiva.

O mundo das organizações esportivas está tornando-se mais competitivo. Por esse motivo, é preciso que os profissionais deste mundo mantenham-se atualizados e desenvolvam os conhecimentos e habilidades necessárias para poder administrar este contexto de maneira competente e, dessa forma, possam realizar seu trabalho de maneira bem-sucedida.

O programa Direção e Habilidades para a Gestão de Centros Esportivos tem como finalidade desenvolver profissionais com competências que permitam dar resposta aos desafios do negócio esportivo, através de uma gestão de qualidade e também inovadora. Cada uma das disciplinas que forma este programa proporciona um conhecimento profundo sobre as áreas que configuram a administração de uma instituição esportiva.

A quem é dirigido

A metodologia de formação proposta, somada à clareza, amplitude e didática da elaboração dos conteúdos, permite dirigir o programa em Direção e Habilidades para a Gestão de Centros Esportivos a profissionais de diferentes áreas, com ou sem experiência no setor, que queiram ampliar e consolidar seus conhecimentos para aplicá-los no ambiente de trabalho do negócio esportivo ou que queiram orientar sua carreira profissional em direção às organizações esportivas, com o objetivo de potencializar sua carreira profissional.

Titulação

O título será expedido pela universidade em que o aluno tenha-se matriculado com o patrocínio da Fundação Universitária Iberoamericana (FUNIBER).

Estrutura do Programa

A duração estimada para a realização do programa de Direção e Habilidades para a Gestão de Centros Esportivos é de 1 ano. No total, será necessário completar 430 horas (43 créditos).

Em relação à distribuição do tempo, estabelece-se que:

  • Por ser um programa a distância e não estar sujeito a aulas presenciais, não se estabelece uma data específica de início. Por conta disso, o aluno pode formalizar a matrícula a qualquer momento, sempre que houver vagas disponíveis.
  • Por motivos acadêmicos e de aprendizagem, dispõe-se de uma duração mínima do Programa de 6 meses.
  • O tempo máximo de que o aluno dispõe para realizar o Programa é de um ano. Neste período de tempo, o aluno deve ter entregue todas as avaliações correspondentes às disciplinas e o Estudo e Resolução de Casos, assim como o Trabalho Final ou a Prática Presencial Supervisionada.

A estrutura de créditos da Direção e Habilidades para a Gestão de Centros Esportivos está na seguinte tabela:

  CRÉDITOSa DURAÇÃOb HORAS
Disciplinas 27 7 7
Estudo e Resolução de Casos 6 2 60
Trabalho Final ou Prática 10 3 100
TOTAL 43 12 430

a. A equivalência em créditos pode variar conforme a universidade que titule.
b. Duração em meses.

Objetivos

Objetivo geral:

  • Formar profissionais com os conhecimentos e as habilidades necessárias para desenvolver um trabalho eficaz e eficiente no campo da gestão esportiva.

Objetivos específicos:

  • Aprofundar-se nos estilos de liderança e direção nas organizações esportivas.
  • Desenvolver habilidades para um planejamento e gestão estratégica de centros esportivos.
  • Saber escolher e aplicar as técnicas mais adequadas para a direção de uma equipe esportiva.
  • Aplicar as novas tecnologias da Sociedade da Comunicação e da Informação na área do esporte.

Saídas Profissionais

Algumas das saídas profissionais do programa de Direção e Habilidades para a Gestão de Centros Esportivos são as seguintes:

  • Diretor Esportivo de uma organização esportiva.
  • Coordenador de área em uma organização esportiva (marketing, recursos humanos, IT, etc.).
  • Assessor e consultor para organizações esportivas.
  • Qualquer setor no negócio esportivo em que se desempenhem funções que exijam conhecimentos na gestão esportiva.

Nota: O exercício das profissões é regulamentado pela legislação de cada país.

Plano de estudos

O programa de Direção e Habilidades para a Gestão de Centros Esportivos se compõe de 3 partes:

  • 1ª PARTE: DISCIPLINAS (27 CRÉDITOS)

O objetivo desta parte é prover um conhecimento amplo e profundo sobre a gestão de organizações esportivas, desde seus fundamentos teóricos, conceituais e históricos em cada área até sua implementação organizacional, administrativa, esportiva, social e econômica.

As disciplinas e créditos correspondentes que compõem o programa são mostrados na seguinte tabela:

Estas disciplinas, apesar de serem independentes entre si, estão estruturadas segundo uma ordem pedagógica coerente.

  • 2ª PARTE: ESTUDO E RESOLUÇÃO DE CASOS(6 CRÉDITOS)

O objetivo é apresentar um documento completo que mostre o desenvolvimento total de um caso prático teórico ou aplicado, baseado nas doutrinas, teorias e disciplinas estudadas.

O desenvolvimento desta parte põe o aluno de frente à compreensão efetiva do conhecimento e obriga-o a resolver um problema do mundo real ou simulado. Sugere-se que se comece ao final da última disciplina, já que, nesse momento, o aluno contará com os recursos necessários para seu desenvolvimento.

# DISCIPLINAS CRÉDITOS
1 ESTUDO E RESOLUÇÃO DE CASOS 6
  • 3ª PARTE: TRABALHO FINAL OU PRÁTICA PRESENCIAL SUPERVISIONADA (10 CRÉDITOS)

A última parte deste programa de especialização está destinada à realização de uma Prática Presencial Supervisionada ou o desenvolvimento de um Trabalho Final.

A decisão a respeito de que atividade realizar tem de ser tomada pelo aluno durante a 1ª Parte: Disciplinas, com base na informação específica que se fornecerá para isso.

Descrições dos Cursos

1ª PARTE: MATERIAS OBLIGATORIAS

  1. ADMINISTRAÇÃO E DIREÇÃO DE ENTIDADES ESPORTIVAS

    Estudo das funções que deve exercer um diretor de entidades esportivas, assim como as bases legais que regem o esporte internacionalmente.

    Conteúdos que se abordam na disciplina:

    EMPRESAS
    Empresa em contexto. Classificação empresarial. Tipos de empresa. Setores econômicos e atividade empresarial. A empresa como sistema. Empreendedor e diretor.
    ORGANIZAÇÃO EMPRESARIAL
    Estruturação empresarial. Novas tendências em estruturação empresarial. Áreas funcionais/ Funcionalidades na empresa. Organização de processos empresariais.
    POLÍTICA, DIREÇÃO E GESTÃO EMPRESARIAL
    Direção estratégica. Direção tática. Direção operacional.
  2. DIREÇÃO E PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE ORGANIZAÇÕES ESPORTIVAS

    Estudo que permite a compreensão e implantação do planejamento estratégico em organizações e entidades esportivas, centrando-se em seus pontos fortes e pontos fracos para alcançar as metas e objetivos propostos.

    Conteúdos que se abordam na disciplina:

    A GESTÃO DA MUDANÇA COMO SUBSTRATO DA DIREÇÃO ESTRATÉGICA
    A mudança pessoal e organizacional. Alguns modelos para implementar uma mudança organizacional. A resistência à mudança. A participação no processo de mudança estratégica.
    A DIREÇÃO ESTRATÉGICA COMO UM MODELO DE MUDANÇA
    O pensamento estratégico e a direção estratégica. Apresentação de um modelo de planejamento estratégico validado internacionalmente. A matriz DAFO como um valioso instrumento do planejamento estratégico.
    A IMPLANTAÇÃO DA DIREÇÃO ESTRATÉGICA. AS ESTRATÉGIAS EMPRESARIAIS
    Cenários estratégicos. A visão. Análise do sistema de valores que sustentará a estratégia. Elaboração de estratégias empresariais. Objetivos e critérios de medida. Novos negócios. Crescimento. Consolidação. Revitalização.
  3. MARKETING NO ESPORTE. APLICAÇÕES

    Estudo das ferramentas que permitem a captação, fidelização de clientes satisfeitos, rentabilidade e posicionamento de uma entidade ou organização esportiva e a compreensão do significado, natureza e alcance da função comercial no esporte.

    Conteúdos que se abordam na disciplina:

    MARKETING E ORGANIZAÇÃO, POLÍTICA, GESTÃO E DIREÇÃO COMERCIAL
    Marketing. Conceito e estratégia do marketing. Organização comercial. Política comercial (marketing estratégico). Gestão e direção comercial (marketing tático e operacional).
    ANÁLISE COMERCIAL E ADAPTAÇÃO ÀS MUDANÇAS DO MERCADO
    Análise comercial. Adaptação às mudanças do mercado.
    FUNÇÃO COMERCIAL
    Política, gestão, e direção de marcas, produto e/ou serviço. Publicidade e promoção: informação e comunicação no marketing. Comercialização e distribuição do produto e/ou serviço.
    TÉCNICAS DE MARKETING, VENDA E NEGOCIAÇÃO COMERCIAL
    Técnicas de marketing. Técnicas de venda e negociação comercial. Gestão de relação com clientes (CRM).
    COMÉRCIO ELETRÔNICO E MARKETING
    Introdução ao comércio eletrônico (e-Commerce). Marketing: organização do campo para sua aplicação na rede. Técnicas de Marketing para a rede.
    MARKETING INTERNACIONAL
    Comércio internacional, mercados exteriores e política de marketing. Mercados.
    PLANO DE AÇÃO COMERCIAL (STRATEGY "COMMERCE" BUSINESS PLAN)
    Processo de planejamento, execução e controle da estratégia de marketing. Elaboração de estratégias de marketing. Plano comercial (plano de marketing e vendas).
  4. GESTÃO ESTRATÉGICA DOS RECURSOS HUMANOS

    Estudo do comportamento organizacional com especial atenção no comportamento e na motivação das pessoas e sua interação com o ambiente.

    Conteúdos que se abordam na disciplina:

    ESTRATÉGIA E GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS (GRH)
    Estratégia organizacional. Traços e tendências da atual GRH. Necessidades do modelo funcional de GRH.
    GRH: TECNOLOGIA PARA SEU DIAGNÓSTICO, PROJEÇÃO E CONTROLE
    Tecnologia para o diagnóstico, projeção e controle da GRH.
    PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DO RH E OTIMIZAÇÃO DE QUADRO DE FUNCIONÁRIOS
    O processo integrador e sistêmico do planejamento de RH. Determinação e otimização de quadro de funcionários.
  5. TÉCNICAS DE DIREÇÃO DE EQUIPES ESPORTIVAS

    Abrange aspectos gerais da direção e a influência consciente e sistemática sobre este campo e seus membros, durante uma determinada atividade.

    Conteúdos que se abordam na disciplina:

    AS EQUIPES DE TRABALHO
    Considerações gerais. Formação de equipes. A diversidade dos tipos de grupos. Diferença entre grupos e equipes de trabalho. Diferença entre grupos e equipes de trabalho. Os sistemas de alto rendimento e a direção participativa. Normas da equipe. As habilidades diretivas para o trabalho em equipe. A legitimação das percepções. Regras de trabalho em equipe. O consenso. Três elementos-chave para o trabalho em equipe. Características das equipes eficientes. Erros mais frequentes na coordenação de equipes de trabalho. Gestão de conflitos.
    PRINCIPAIS FERRAMENTAS PARA APERFEIÇOAR AS EQUIPES
    Interação entre os interesses individuais e coletivos. A autorrealização pessoal no trabalho da equipe. A liderança e as equipes autodirigidas. Exercício prático. Os 7 hábitos da liderança. O oitavo hábito da liderança. A inteligência emocional na equipe. Você é uma pessoa assertiva? Redes sociométricas. O sociograma. O teste de avaliação de grupo. Psicograma. As reuniões e sessões de trabalho em equipe. O método de interação. A delegação, a autonomia e a independência. A direção por objetivos e resultados.
    A TOMADA DE DECISÕES EM EQUIPE. TÉCNICAS PARA O TRABALHO EM EQUIPE
    Empowerment. Considerações a respeito da tomada de decisões. Fatores de que depende. O processo de tomada de decisões. As técnicas de geração de ideias. Técnicas centradas em alcançar o consenso. Técnicas centradas em organizar ideias. A criatividade. Fechaduras mentais da criatividade.
  6. TÉCNICAS DE DIREÇÃO E LIDERANÇA NO ESPORTE

    Estudo das técnicas e do processo comportamental que influem sobre o comportamento dos esportistas para a obtenção de resultados satisfatórios.

    Conteúdos que se abordam na disciplina:

    INTRODUÇÃO À IMPORTÂNCIA DA LIDERANÇA E A DIREÇÃO EMPRESARIAL
    O principal recurso humano: as pessoas. A direção e a psicologia social. Que é liderança? Definição, diferenças e funções do líder e do diretor. A cultura empresarial, valores e os processos de mudança. Importância da liderança organizacional.
    ENFOQUES TEÓRICOS NO ESTUDO DA DIREÇÃO E DA LIDERANÇA. SUA EVOLUÇÃO
    Pré-história da liderança. A revolução industrial. A escola clássica da organização científica – líder autoritário. Escola das relações humanas – líder democrático. Modelo burocrático – líder carismático. A teoria behaviorista – teoria de traços – líder qualidades psicológicas. O desenvolvimento organizacional – líder grupal. Direção participativa. Escola sistêmica da administração – teorias da contingência. Líder orientado à tarefa e orientado às relações. Direção estratégica-mudança por valores-competências.
    ESTILOS DE LIDERANÇA
    Definições. Estilo de liderança. Tipos de estilos de liderança clássicos. Outros tipos de liderança. Modelos de estilos de liderança contemporâneas. Princípios essenciais dos líderes na coordenação dos homens. Liderança eficaz.
    COMPETÊNCIAS E HABILIDADES DO LÍDER E DO DIRETOR: TÉCNICAS E FERRAMENTAS
    As competências e as habilidades do líder e do diretor. Análise dos resultados de uma pesquisa comparativa entre diretores turísticos líderes e não líderes quanto ao nível de desempenho. Avaliação das características pessoais. Técnicas e ferramentas para o trabalho do líder.
  7. SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO E ESPORTE

    Análise do modelo sociocultural com que se vive na atualidade, caracterizado por compartilhar informação, eliminando distâncias e tempo graças à comunicação social e à tecnologia.

    Conteúdos que se abordam na disciplina:

    ANÁLISE DA SITUAÇÃO ATUAL: MUDANÇA GENERALIZADA
    Passagem para a sociedade da informação. Impulsores da mudança atual: globalização-tecnologia-informação. Impactos da mudança global.
    ADEQUAÇÃO ORGANIZACIONAL À MUDANÇA: GESTÃO DA MUDANÇA CULTURAL E TECNOLÓGICA DA SOCIEDADE
    Inovação como proposta de adequação. Culturas e organizações inovadoras. Visão da organização pelo ponto de vista da informação.
    REDE ATUAL À SOCIEDADE DO CONHECIMENTO
    Fundamentos, indicadores e características da economia em rede atual. Para a economia do conhecimento. Impacto da gestão do conhecimento nas organizações. Globalização e sociedade da informação.
    PARA A ADMINISTRAÇÃO ABERTA
    Introdução. Conceitos básicos sobre a sociedade da informação. Situação do estado diante da sociedade da informação. A administração aberta: as tecnologias da informação e das comunicações nos processos administrativos. Síntese: para uma sociedade da informação sustentável.

2ª PARTE: ESTUDO E RESOLUÇÃO DE CASOS

Busca a aplicação e domínio por parte do aluno de conceitos aprendidos na Especialização. O objetivo é demonstrar que o aluno possui a capacidade de poder analisar e responder, de maneira congruente, aos diferentes casos apresentados a ele.

3ª PARTE: TRABALHO FINAL OU PRÁTICA PRESENCIAL SUPERVISIONADA

Neste ponto, o aluno tem de escolher uma das atividades formativas a realizar.

No caso de escolher fazer o Trabalho Final, o aluno deverá realizar um trabalho em algum dos campos estudados no curso, respeitando as doutrinas, teorias e disciplinas relacionadas.

No caso de realizar a Prática Presencial Supervisionada, o aluno terá a oportunidade de contextualizar-se na realidade profissional, a fim de poder desenvolver suas competências e habilidades básicas próprias do exercício profissional. Desta maneira, fomenta-se sua formação integral, com a combinação de conhecimentos teóricos, técnicos e práticos adquiridos durante sua formação na especialização.

A culminação de qualquer destas duas opções permitirá a superação bem-sucedida do programa.


Nota: O conteúdo do programa acadêmico pode ser submetido a ligeiras modificações, em função das atualizações ou das melhoras efetuadas.

Direção

Direção Acadêmica

  • Dr. Javier González Gallego. Catedrático de Biologia da Universidad de León. Diretor do Departamento de Ciências Biomédicas da Universidad de León.
  • Dra. Sara Márquez Rosa. Catedrática da Área de Educação Física e Esportiva da Universidad de León. Presidenta da Federação Espanhola de Psicologia no Esporte (FEPD).

Coordenação Geral Acadêmica

  • Dra.(c) Irma Domínguez Azpíroz. Coordenadora Internacional.

Professores e Autores

  • Dr. Antonio Eduardo López Fuenzalida. Doutor em Ciências do Exercício da Universidad de Córdoba (Espanha). Professor da Universidad Internacional Iberoamericana.
  • Dr. Narcis Gusi Fuentes. Catedrático. Departamento de Didática da Expressão Musical, Plástica e Corporal da Universidad de Extremadura.
  • Dr. Alfredo Cordova Martinez. Catedrático da Escuela Universitaria. Departamento de Fisiologia da Universidad de Valladolid.
  • Dr. Borja del Pozo Cruz. Doutor em Ciências da Atividade Física, Rendimento Esportivo e Saúde. Professor do Departamento de Educação Física e Esportes da Universidad de Sevilla.
  • Dra. Olga Molinero González. Doutora em Ciências da Atividade Física e do Esporte pela Universidad de León. Graduada em Magistério com especialização em educação física pela Universidad de Valladolid. Professora da Universidad de León.
  • Dr. Enrique Garcés de los Fayos. Doutor em Psicologia. Professor do Departamento de Personalidade, Avaliação e Tratamento Psicológico da Universidad de Murcia
  • Dr. Alfonso Salguero del Valle. Doutor em Ciências da Atividade Física e do Esporte pela Universidad de León. Professor do Departamento de Didática da Expressão Musical, Plástica, Corporal, Desenho e Educação Física da Universidad de León.
  • Dr. Javier González Gallego. Catedrático de Biologia da Universidad de León. Diretor do Departamento de Ciências Biomédicas da Universidad de León.
  • Dra. Sara Márquez Rosa. Catedrática da Área de Educação Física e Esportiva da Universidad de León. Presidenta da Federação Espanhola de Psicologia no Esporte (FEPD).
  • Dr. Gonzalo Cuadrado Sáenz. Doutor em Ciências da Atividade Física e do Esporte. Professor Titular do Departamento de Didática da Expressão Musical, Plástica, Corporal, Desenho e Educação Física da Universidad de León. Diretor da Escuela Nacional de Entrenadores da RFEC.
  • Dr. Carlos González Haro. Doutor em Rendimento Esportivo pela Universidad de Zaragoza. Pesquisador no Departamento de Farmacologia e Fisiologia da Faculdade de Medicina de Zaragoza.
  • Dr. Carlos Pablos Abella. Doutor em Psicologia. Professor Titular do Departamento de Educação Física e Esportes da Universidad de Valencia. 
  • Dra. Susana Martínez. Doutora em Biologia. Professora da Universidad de León.
  • Dr. Aurelio Olmedilla Zafra. Zafra. Doutor em Psicologia. Professor da Faculdade de Ciências do Esporte da Universidad Católica San Antonio de Murcia.
  • Dr. Francisco Ortín Montero. Doutor em Psicologia Esportiva. Professor do Departamento de Personalidade, Avaliação e Tratamento Psicológico da Universidad de Murcia.
  • Dra. Gema Torres Luque. Doutora em Ciências do Esporte. Professora Titular do Departamento de Didática da Expressão Musical, Plástica e Corporal da Universidad de Jaén.
  • Dr. José A. de Paz Fernández. Doutor em Medicina. Professor Titular do Departamento de Fisiologia da Universidad de León.
  • Dr. José A. Rodríguez Marroyo. Professor Titular do Departamento de Educação Física e Esportiva da Universidad de León.
  • Dr. Ildefonso Alvear Ordenes. Doutor em Ciências da Atividade Física e Esporte. Professor Associado do Departamento de Fisiologia da Universidad de León.
  • Dr. José Enrique Sirvent Belando. DoDoutor em Ciências (Nutrição e Bromatologia) pela Universidad de Alicante. Professor associado do Departamento de Química Analítica, Nutrição e Bromatologia da Universidad de Alicante.
  • Dr. José Gerardo Villa Vicente. Catedrático da Área de Educação Física e Esportiva da Universidad de León.
  • Dr. Miguel Del Valle Soto. Catedrático da Universidad de Oviedo. Diretor da Escola de Medicina Esportiva da Universidad de Oviedo. Vice-presidente da Federação Espanhola de Medicina del Deporte.
  • Dr. Juan Carlos Redondo. Doutor em Ciências da Atividade Física e do Esporte. Professor Titular do Departamento de Didática da Expressão Musical, Plástica, Corporal, Desenho e Educação Física da Universidad de León.
  • Dr. Nicolás Terrados Cepeda. Doutor em Medicina e Cirurgia. Professor do Departamento de Biologia Funcional da Universidad de Oviedo.
  • Dra. Nuria Garatachea Vallejo. Doutora em Ciências da Atividade Física e Esporte pela Universidad de León. Professora do Departamento de Ciências Biomédicas da Universidad de León.
  • Dra. Pilar Sánchez Collado. Doutora em Farmácia. Professora do Departamento de Ciências Biomédicas da Universidad de León.
  • Dra. Susana Aznar Laín. Doutora em Ciências da Atividade Física e Esporte. Professor do Departamento de Didática da Expressão Musical, Plástica e Corporal da Universidad de Castilla La Mancha.
  • Dr. Maurizio Battino. Doutor em Ciências Biológicas pela Università delle Marche. Diretor Geral da Área de Saúde e Nutrição da Fundação Universitária Iberoamericana.
  • Dr. Francesco Visioli. Doutor em Química e Tecnologia Farmacêutica pela Universidad de Brescia. Pesquisador no Instituto Madrileno de Estudos Avançados (IMDEA)-Alimentos.
  • Dr. Héctor Antonio Solano Lamphar. Decano acadêmico da Universidad Internacional Iberoamericana.
  • Dr. José Manuel Figueroa. Doutor em Projetos pela Universidad Politécnica de Cataluña.
  • Dr. José Nadal García. Instituto de Ensino Secundário Pedraforca, Departamento de Educação, Generalitat de Cataluña, L’Hospitalet del Llobregat, Barcelona, Espanha.
  • Dr. Luis Vivanco Sierralta. Centro de Pesquisa Biomédica de La Rioja (Espanha). Coordenador da Área de Bioética da Funiber.
  • Dra.(c) Carmen Lilí Rodríguez Velasco. Doutoranda em Educação. Mestre em Psicologia Laboral e das Organizações.
  • Dra.(c) Irma Domínguez Azpíroz. Doutoranda em Educação. Mestrado Internacional em Nutrição. Mestre em Atividade Física: Treinamento e Gestão Esportiva. Coordenadora Acadêmica da Área de Saúde e Nutrição da FUNIBER.
  • Dra.(c) Sandra Sumalla Cano. Doutoranda em Projetos. Mestrado Internacional em Nutrição. Mestre em Atividade Física: Treinamento e Gestão Esportiva.
  • Dra.(c) Anna Marín Bachs. Doutoranda em Educação. Mestrado Internacional em Nutrição.
  • Dra.(c) Amélia Stein. Doutoranda em Ciências da Atividade Física e do Esporte pela Universidad de León.
  • Dr.(c) José Alberto Frade-Martins Parraça. Doutorando associado à Universidad de Extremadura. Professor da Faculdade de Saúde e Esporte da Universidad de Evora, Portugal.
  • Dra.(c) José María García Lafuente. Doutorando Associado ao Departamento de Fisiologia da Universidad de Extremadura.

Bolsa de Trabalho

A Fundação Universitária Iberoamericana (FUNIBER) destina periodicamente um valor econômico de caráter extraordinário para Bolsas de estudo em Formação FUNIBER.

Para solicitá-la, preencha o formulário de solicitação de informação que aparece no portal FUNIBER ou entre em contato diretamente com a sede da fundação em seu país para saber se é necessário proporcionar alguma informação adicional.

Uma vez que tenhamos recebido a documentação, o Comitê Avaliador examinará a idoneidade de sua candidatura para a concessão de um incentivo econômico na forma de Bolsa de estudo em Formação FUNIBER.