Master Universitario em Resolução de Conflitos e Mediação

Apresentação do Programa

O Master Universitário em Resolução de Conflitos e Mediação oferece aos participantes uma perspetiva atualizada dos conhecimentos sobre o conflito e a mediação, de modo a desenvolver capacidades e habilidades nas diferentes técnicas de resolução de conflitos e mediação, aplicadas a contextos diversos: escolar, familiar, organizacional, penal, comunitário, sanitário, internacional, on-line.

A conceção do Master é feita do geral para o particular: trabalham-se conceitos centrais na resolução/transformação de conflitos e na mediação, do ponto de vista teórico-metodológico e normativo-legal, o que proporciona um marco referencial operacional para a abordagem dos conflitos em diferentes escalas e contextos sociais.

Esta orientação na formação é complementada com disciplinas focadas na resolução transformação de conflitos em esferas específicas: escolar, sanitária, penal, comunitária, familiar, organizacional e internacional. Somado a isso, trabalha-se a resolução de disputas on-line, metodologia que usa a tecnologia como suporte na resolução de conflitos.

Como complemento à formação on-line, os alunos que cursam o Programa desenvolvem Práticas Profissionais, atividades dirigidas e supervisionadas em um ambiente real de exercício da profissão.

O Master caracteriza-se por sua abordagem multidisciplinar, já que participam autores e professores com trajetórias académicas e profissionais consolidadas em âmbitos como a psicologia, o direito, a pedagogia, a economia, o mundo empresarial, entre outros.

Desse modo, quem cursa o Master Universitário em Resolução de Conflitos e Mediação desenvolve uma visão geral e aplicada da resolução de conflitos em diferentes esferas sociais. Esta formação integral habilita profissionalmente para um posicionamento e o desenvolvimento de uma trajetória orientada à resolução de conflitos e à mediação nos mais diversos contextos.

A quem é dirigido

O Master em Resolução de Conflitos e Mediação está destinado a profissionais, consultores, assessores, docentes e investigadores que em sua atividade profissional passam por situações de conflito em suas diferentes gradações, formas e âmbitos (educação, familiar, comunitário, organizacional, penal, internacional).

Para o acesso a este Master Universitário, será positivamente avaliado estar em posse de um título de:

  • Graduado em Psicologia
  • Graduado em Direito
  • Graduado em Pedagogia
  • Graduado em Psicopedagogia
  • Graduado em Sociologia
  • Graduado em Antropologia Social e Cultural
  • Graduado em Trabalho Social ou Educação Social

Desta forma, é possível a candidatura de pessoas com titulações universitárias afins das anteriores ou que tenham tido formação específica na área do master ou, ainda, experiência profissional em áreas afins.

Titulação

Após a conclusão bem-sucedida do programa, o aluno receberá o título emitido pela universidade em que se tenha matriculado com o patrocínio da Fundação Universitária Iberoamericana (FUNIBER).

Estrutura do Programa

  • O tempo máximo de que se dispõe para concluir o programa é de 24 meses. Neste período, o aluno deve ter concluído com êxito todas as atividades avaliativas e ser aprovado no Trabalho Final de Master.
  • Por razões académicas e de aprendizagem, o Programa dispõe de uma duração mínima de 18 meses.
  • Por ser um programa a distância e não estar sujeito a aulas presenciais, não se estabelece uma data específica de início, desta maneira, o aluno pode formalizar a matrícula em qualquer momento, sempre que houver vagas disponíveis.

A estrutura de créditos do Master Universitário em Resolução de Conflitos e Mediação é a seguinte:

# PARTES CRÉDITOS
1 1ª PARTE: FASE PRÉVIA 26
2 2ª PARTE: FASE OFICIAL 65
  TOTAL 91

A Fase Oficial é composta de:

# CAPÍTULOS CRÉDITOSa
1 Doze disciplinas obrigatórias 49
2 Práticas Externas 6
3 Trabalho Final de Master 10
  TOTAL 65

a. O número de créditos pode variar de acordo com a Universidade que emite o título. Um (1) crédito ECTS (European Credit Transfer System) equivale a 25 horas. Se o aluno cursa o programa matriculado em uma universidade não pertencente ao Espaço Europeu do Ensino Superior (EEES), a relação entre créditos e horas pode variar.

Objetivos

Objetivo geral

  • Formar profissionais da resolução de conflitos e da mediação que sejam capazes de intervir nas esferas escolares, familiares, comunitárias, organizacionais, penais ou sanitárias através de estratégias, modelos e práticas de amplo histórico e reconhecido impacto neste campo.

Objetivos específicos

  • Desenvolver uma nova compreensão sobre o conflito e suas dinâmicas a partir da perspetivas de múltiplas disciplinas.
  • Analisar a interação complexa que existe entre emoções e conflito.
  • Explicar e relacionar as teorias e mecanismos psicológicos que atuam por trás dos processos de negociação-mediação.
  • Analisar o curso dos conflitos e identificar quais intervenções podem ser convenientes em casa momento de sua evolução.
  • Utilizar os distintos modelos de assessoramento em resolução de conflitos (afrontamento, solução de problemas, transformativo, narrativo).
  • Aplicar as estratégias ou métodos para resolver conflitos, assim como saber conduzir à prática os distintos tipos de negociação, em diferentes contextos ou esferas de aplicação.
  • Conhecer a normativa relativa à mediação.
  • Identificar e aplicar técnicas para abordar diferentes momentos do processo de mediação.
  • Implementar adequadamente as distintas fases de um processo de mediação.
  • Participar na Resolução de Conflitos e/ou Mediação de maneira prática em um contexto específico.

Saídas Profissionais

A formação deste Master Universitário é muito versátil e aborda as diferentes áreas da Mediação e da Resolução de Conflitos em que é possível trabalhar. Hoje, o que supõe a existência de um leque muito amplo de saídas profissionais. Estas são algumas das instituições nas quais é possível trabalhar após a obtenção de este título universitário:

  • Empresas de qualquer setor, tanto grandes quanto médias o pequenas, de caráter público o privado.
  • Administração.
  • Entidades especializadas em resolução de conflitos e mediação.
  • Hospitais.
  • Centros penitenciários.
  • Instituições educativas.

Em todas estas instituições, o papel do mediador é essencial e a cada vez tem maior relevância dentro de qualquer tipo de organização.

Plano de estudos

O Master Universitário em Resolução de Conflitos e Mediação possui una estrutura curricular baseada em 2 partes formativas:

  • 1º PARTE: FASE PREVIA

A Fase Previa está orientada à aprendizagem de conhecimentos, habilidades e atitudes, que são necessários para um aproveitamento adequado do Master em sua Fase Oficial. É integrada por disciplinas centradas em temas considerados precedentes ou que constituem uma base necessária para o desenvolvimento do Trabalho de Fim de Master durante a Fase Oficial. Por isso, estes saberes também costumam ser identificados como Requisitos Prévios.

As disciplinas da Fase Prévia são apresentadas na tabela abaixo:

  • 2º PARTE: FASE OFICIAL

A Fase Oficial orienta-se à aprendizagem de conhecimentos, habilidades e atitudes que permitem obter uma formação avançada e direcionada à especialização profissional no campo da Resolução de Conflitos e da Mediação.

As disciplinas e os créditos ECTS correspondentes à Fase Oficial são apresentados na tabela abaixo:

Descrições dos Cursos

1º PARTE: FASE PRÉVIA

  1. TEORIA DO CONFLICTO. CONCEITO E ANÁLISE DOS CONFLITO

    Esta disciplina introduz os pilares teóricos básicos da disciplina de resolução de conflitos. Busca que os estudantes, desde o primeiro momento adquira uma conceção diferente do conflito e suas dinâmicas de escalada e desescalada, desenvolvendo suas capacidades para analisar profundamente os conflitos antes da intervenção.

    Alguns temas abordados na disciplina são:

    CONCEITO DE VIOLÊNCIA E PAZ
    CULTURA DE PAZ
    DEFINIÇÃO DE CONFLITO
    TEORIA GERAL DO CONFLITO
    NÍVEIS DE ANÁLISE DO CONFLITO
    O CÍRCULO DO CONFLITO
    O CICLO DO CONFLITO
    ESTRUTURA DO CONFLITO
    PARÂMETROS DOS CONFLITOS INTERPESSOAIS
    A DINÂMICA DO CONFLITO
    IDENTIDADE E CONFLITO
  2. A MEDIAÇÃO: DEFINIÇÃO E PRINCÍPIOS. O MEDIADOR: PAPEL E FUNÇÕES

    O objetivo geral dessa disciplina é conhecer e aprofundar os estudos em estilos de liderança e direção, sua relação, as diferenças, a importância e os enfoques teóricos, assim como as competências e habilidades necessárias para seu exercício.

    Alguns temas abordados na disciplina são:

    INTRODUÇÃO À IMPORTÂNCIA DA LIDERANÇA NA DIREÇÃO EMPRESARIAL.
    O principal recurso humano: as pessoas. Direção e a psicologia social. O que é liderança? Definição, diferenças e funções do líder e o diretor. A cultura empresarial, valores e os processos de mudança. Importância da liderança organizacional.
    ENFOQUES TEÓRICOS NO ESTUDO DA DIREÇÃO E DA LIDERANÇA, SUA EVOLUÇÃO
    Pré-história da liderança. A revolução industrial, a escola clássica da organização científica - líder autoritário. Escola das relações humanas - líder democrático. Modelo burocrático - líder carismático. A teoria behaviorista - teoria das características - o líder e as qualidades psicológicas. O desenvolvimento organizacional - líder do grupo. Direção participativa. Escola sistémica da administração - teorias da contingência. Líder orientado à tarefa e orientado às relações. Direção estratégica - mudança por valores - competências.
    ESTILOS DE LIDERANÇA.
    Estilos de liderança. Tipos de estilos de liderança clássicos. Outros tipos de liderança. Modelos de estilos de liderança contemporâneos. Princípios essenciais dos líderes na condução das pessoas. Liderança eficaz.
    COMPETÊNCIAS E HABILIDADES DO LÍDER E DO DIRETOR: TÉCNICAS E FERRAMENTAS.
    As competências e as habilidades do líder e o diretor. Análise dos resultados de una investigação comparativa de diretores turísticos líderes com não líderes em relação ao nível de desempenho. Avaliação das características pessoais. Técnicas e ferramentas para o trabalho do líder.
  3. TÉCNICAS DE DIREÇÃO DE LIDERANÇA ORGANIZACIONAL

    O objetivo geral dessa disciplina é conhecer e aprofundar os estudos em estilos de liderança e direção, sua relação, as diferenças, a importância e os enfoques teóricos, assim como as competências e habilidades necessárias para seu exercício.

    Alguns temas abordados na disciplina são:

    INTRODUÇÃO À IMPORTÂNCIA DA LIDERANÇA NA DIREÇÃO EMPRESARIAL.
    O principal recurso humano: as pessoas. Direção e a psicologia social. O que é liderança? Definição, diferenças e funções do líder e o diretor. A cultura empresarial, valores e os processos de mudança. Importância da liderança organizacional.
    ENFOQUES TEÓRICOS NO ESTUDO DA DIREÇÃO E DA LIDERANÇA, SUA EVOLUÇÃO
    Pré-história da liderança. A revolução industrial, a escola clássica da organização científica - líder autoritário. Escola das relações humanas - líder democrático. Modelo burocrático - líder carismático. A teoria behaviorista - teoria das características - o líder e as qualidades psicológicas. O desenvolvimento organizacional - líder do grupo. Direção participativa. Escola sistémica da administração - teorias da contingência. Líder orientado à tarefa e orientado às relações. Direção estratégica - mudança por valores - competências.
    ESTILOS DE LIDERANÇA.
    Estilos de liderança. Tipos de estilos de liderança clássicos. Outros tipos de liderança. Modelos de estilos de liderança contemporâneos. Princípios essenciais dos líderes na condução das pessoas. Liderança eficaz.
    COMPETÊNCIAS E HABILIDADES DO LÍDER E DO DIRETOR: TÉCNICAS E FERRAMENTAS.
    As competências e as habilidades do líder e o diretor. Análise dos resultados de una investigação comparativa de diretores turísticos líderes com não líderes em relação ao nível de desempenho. Avaliação das características pessoais. Técnicas e ferramentas para o trabalho do líder.
  4. TÉCNICAS DE DIREÇÃO DE EQUIPES DE TRABALHO

    Esta disciplina permite conhecer os elementos teóricos e práticos sobre grupos e equipes de trabalho, suas características e as técnicas e ferramentas para sua gestão eficaz.

    Alguns temas abordados na disciplina são:

    AS EQUIPAS DE TRABALHO.
    Formação de equipas. A diversidade dos tipos de grupos. Diferenças entre grupos e equipes de trabalho. Os sistemas de alto rendimento e a direção participativa. Normas de equipa. As habilidades executivas para o trabalho em equipa. A legitimação das perceções. Regras do trabalho em equipa. O consenso. Três elementos fundamentais para o trabalho em equipa. Características de equipes eficientes. Erros mais frequentes na condução de equipas de trabalho. Gestão de conflitos.
    PRINCIPAIS FERRAMENTAS PARA APERFEIÇOAR AS EQUIPAS.
    Interação entre os interesses individuais e coletivos. A autorrealização pessoal no trabalho em equipa. A liderança e as equipes autodirigidas. Exercício prático: os 7 hábitos da liderança. O oitavo hábito da liderança. A inteligência emocional na equipe. Você é uma pessoa assertiva? Redes sociométricas, o sociograma. O teste de avaliação de grupo. Psicodrama. As reuniões e as sessões de trabalho em equipa. O método de interação. A delegação, a autonomia e a independência. A direção por objetivos e resultados.
    TOMADA DE DECISÕES EM EQUIPA. TÉCNICAS PARA O TRABALHO EM EQUIPE
    Empowerment. Considerações associadas à tomada de decisões. Fatores condicionantes do processo de toma de decisões. As técnicas de geração de ideias. Técnicas centradas no alcance do consenso. Técnicas centradas na organização ideias. A criatividade. Fechaduras mentais da criatividade.
  5. GESTÃO DO TEMPO E DIREÇÃO DE REUNIÕES

    A disciplina está focada na otimização das reuniões de trabalho mediante uma boa preparação e o desenvolvimento das mesmas, assim como nas habilidades para conduzir a equipe. Também traz critérios e técnicas para a gestão do tempo dentro do marco da função executiva.

    Alguns temas abordados na disciplina são:

    A GESTÃO DO TEMPO E A EFICÁCIA DO EXECUTIVO
    PRINCÍPIOS DO PLANEJAMENTO E DA ORGANIZAÇÃO DO TEMPO
    A DELEGAÇÃO, CONCEITOS, DIFICULDADES E VANTAGENS. O PROCESSO DE DELEGAÇÃO
  6. TÉCNICAS DE APRESENTAÇÃO EM PÚBLICO

    A disciplina está focada no desenvolvimento de capacidades para a preparação e realização de apresentações profissionais para a obtenção da influência desejada no público.

    Alguns temas abordados na disciplina são:

    DEFINIÇÕES CONCEITUAIS DA APRESENTAÇÃO EM PÚBLICO NO ÂMBITO PROFISSIONAL
    FATORES DE ÊXITO. PREPARAÇÃO, REALIZAÇÃO E O PAPEL DO APRESENTADOR
  7. STRESSE E BURNOUT

    A disciplina está centrada em como gerir as situações de stresse e burnout dentro da organização empresarial, proporcionado aos estudantes os conhecimentos teórico-práticos necessários.

    Alguns temas abordados na disciplina são:

    CONCEITOS, ENFOQUES MAIS IMPORTANTES NA ABORDAGEM DO STRESSE LABORAL
    TÉCNICAS E FERRAMENTAS PARA A GESTÃO DO STRESSE
    FATORES CAUSADORES DO STRESSE LABORAL
    INCIDÊNCIAS DO STRESSE EM FUNÇÃO DAS VARIÁVEIS PROFISSIONAIS
  8. METODOLOGIA DA PESQUISA CIENTÍFICA

    Esta disciplina familiariza o aluno com o contexto científico da investigação e suas exigências conceituais e metodológicas. Apresenta as distintas etapas de um processo de investigação, de modo a favorecer o desenvolvimento de habilidades e destrezas no desenho metodológico da Tese, assim como na elaboração do relatório ou memória de investigação.

    Alguns temas abordados na disciplina são:

    ASPETOS EPISTEMOLÓGICOS DA INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA
    O que é a epistemologia? O que é um paradigma? Conhecimento e ciência. Conceção empírico positiva. Conceção hermenêutica ou interpretativa. Poiese e praxis: uma chave na compreensão dos paradigmas.
    O PROCESSO DA INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA
    Etapas do caminho. Como iniciar uma investigação? O projeto: ponto de partida. Escolha do tema. Formulação do problema. Formulação das perguntas da investigação. Definição de objetivos. Elaboração da hipótese. Justificativa da investigação. Definição do título.
    CONSTRUÇÃO DO MARCO TEÓRICO
    O que é um marco teórico Revisão da literatura: documentação e pesquisa de informação. O que pesquisar? Fontes primárias, secundárias e terciárias. Onde buscar? Localização virtual e/ou física. Que referência consultar em profundidade? Critérios para a seleção. Como ler textos académicos? Estratégias para a leitura e compreensão de textos escritos. Reproduzir/compreender um texto: além do tudo ou nada. Conselhos úteis para a leitura de textos académicos. Como registar a informação? Elaboração do marco teórico: pautas de orientação.
    CRIAÇÃO DA ESTRATÉGIA METODOLÓGICA.
    Definição do propósito e os objetivos da pesquisa. Desenvolvimento de hipótese. Valor da informação. Definição operacional da variável. A amostragem. Técnicas e instrumentos de coleta de dados. A observação participante. Grupo nominal. Técnica DELPHI. Entrevista de profundidade. Grupos de discussão. Historia de vida. Procedimentos para a análise dos dados. Análise qualitativa dos dados. Análise de conteúdo. Análise do discurso.
    O RELATÓRIO DA INVESTIGAÇÃO.
    Partes de um relatório de investigação escrito. Aspetos formais na redação de trabalhos científicos. A composição de textos escritos: o processo de escrita. Questões textuais. Propriedades textuais básicas. Normas internacionais de citações bibliográficas. Normas internacionais para citações no texto Referencias bibliográficas ao final do texto. Alguns critérios para autoavaliar um relatório de investigação.

2º PARTE: FASE OFICIAL

  1. ENFOQUES PSICOLÓGICOS NA ABORDAGEM DO CONFLITO

    A disciplina aprofunda-se nos aspetos psicológicos do conflito e na negociação-mediação. O estudante adquirirá conhecimento das teorias e mecanismos psicológicos que atuam por trás dos processos de negociação-mediação. Além disso, conhecerá o modelo da teoria dos jogos relacionado ao conflito e à negociação-mediação

    Alguns temas abordados na disciplina são:

    PSICOLOGIA DO CONFLITO
    A perspetiva psicodinâmica. A teoria de campo e o conceito de clima. Perspetiva baseada nas relações humanas e os estilos de abordagem do conflito. A investigação dos conflitos entre grupos. A abordagem cognitiva. A perspetiva psicológica do conflito.
    JOGOS, DILEMAS, CONFLITO
    A teoria da utilidade esperada. A teoria dos jogos
    PSICOLOGIA DA NEGOCIAÇÃO-MEDIAÇÃO
    Paradigma comportamental tradicional. O estudo dos atributos individuais. O estudo das características situacionais. O estudo dos processos cognitivos.
  2. EMOÇÕES E CONFLITO

    Através desta disciplina serão aprendidos conhecimentos úteis para o manejo diário da gestão das emoções nas relações interpessoais e nos conflitos, a partir de uma perspetiva que integre teoria e aprendizagem significativa, mediante exercícios práticos.

    Alguns temas abordados na disciplina são:

    O QUE SÃO AS EMOÇÕES
    Definição do conceito de “emoção”. Componentes da emoção. Função das emoções. Tipos de emoções. Importância das emociones na vida quotidiana.
    PRINCIPAIS EMOÇÕES E SUAS ESTRATÉGIAS DE CONTROLE
    Ira. Medo. Inveja. Culpa. Descontentamento. Tristeza. Interesse. Surpresa. Admiração. Alegria.
    EMOÇÕES, CONFLITOS E RELAÇÕES INTERPESSOAIS
    Estilos afetivos. Estilos de comportamento ante o conflito. As relações interpessoais. Como interagem as emoções, os conflitos e as relações interpessoais
    MODELOS DE GESTÃO DAS EMOÇÕES NAS RELAÇÕES INTERPESSOAIS
    Aplicação à resolução de conflitos e mediação.
  3. COMUNICAÇÃO E CONFLITO

    O aluno deve adquirir uma visão ampla e crítica dos processos de conflito e negociação no contexto da teoria organizacional. Além disso, deve aprender algumas das destrezas e conhecimentos necessários para gerir o conflito, mantendo sempre a comunicação, tanto no contexto organizacional como em outros âmbitos.

    Alguns temas abordados na disciplina são:

    O CONFLITO E A NEGOCIAÇÃO NO CONTEXTO DA TEORIA ORGANIZACIONAL
    O PODER NOS PROCESSOS DE CONFLITO E NEGOCIAÇÃO ORGANIZACIONAL
    ANÁLISE DAS PRINCIPAIS VARIÁVEIS DA INTERAÇÃO QUE INFLUEM SOBRE O PROCESSO DE NEGOCIAÇÃO E SEUS RESULTADOS.
  4. PROCESSOS DE RESOLUÇAO/TRANSFORMAÇÃO DE CONFLITOS

    Nesta disciplina, o aluno aprenderá a distinguir entre os processos próprios da resolução de conflitos e outros processos apropriados para resolver conflitos, mas que não podem ser entendidos como específicos de nossa área. Além disso, conhecerá e praticará processos de resolução/transformação de conflitos empregados com grupos grandes e pequenos. Aprenderá a trabalhar com conflitos quando múltiplas partes estão envolvidas, associadas ou não, assim como a conduzir processos de tomada de decisão em grupo Serão trabalhados processos diversos, como a mediação em grandes grupos a facilitação e os diálogos apreciativos.

    Alguns temas abordados na disciplina são:

    VALORES SUBJACENTES NA RESOLUÇÃO/TRANSFORMAÇÃO DE CONFLITOS
    PRINCÍPIOS DA RESOLUÇÃO/TRANSFORMAÇÃO DE CONFLITOS
    DESAFIOS DA RESOLUÇÃO/TRANSFORMAÇÃO DE CONFLITOS
    O CONTINUUM DA RESOLUÇÃO/TRANSFORMAÇÃO DE CONFLITOS
    COACHING EM CONFLITO
    ASSESSORIA EM RESOLUÇÃO/TRANSFORMAÇÃO DE CONFLITOS
    TREINAMENTO/ASSESSORIA EM ENFRENTAMENTO DO CONFLITO
    ASSESSORIA EM SOLUÇÃO DE PROBLEMAS BASEADA NOS INTERESSES
    ASSESSORIA TRANSFORMATIVA EM RESOLUÇÃO DE CONFLITOS
    ASSESSORIA NARRATIVA EM RESOLUÇÃO/TRANSFORMAÇÃO DE CONFLITOS
    FACILITAÇÃO
    TECNOLOGIA DE ESPAÇO ABERTO
    CONVERSAÇÕES PÚBLICAS
    PROCESSOS DE TOMADA DE DECISÕES CONSENSUADAS
    DIÁLOGOS APRECIATIVOS
    OUTROS PROCESSOS DE RESOLUÇÃO/TRANSFORMAÇÃO DE CONFLITOS
  5. TÉCNICAS DE RESOLUÇÃO DE CONFLITOS E NEGOCIAÇÃO

    Esta disciplina esta focada na teoria moderna da negociação, da prática e das técnicas de um negociador eficaz, além de outras considerações importantes que influem nos resultados de uma negociação.

    Alguns temas abordados na disciplina são:

    INTRODUÇÃO À NEGOCIAÇÃO
    Estilos de negociação. Metas dentro da negociação. Identificação de distintos contextos de negociação.
    A PRÁTICA DA NEGOCIAÇÃO
    Um mapa do processo – as fases de uma negociação. O papel das relações e a confiança na negociação. Desenvolvimento e análise da “Melhor Alternativa para um Acordo Negociado” (MAPAN). Identificação de vantagens estratégicas positivas, normativas e negativas. Como criar valor e manejar bem a negociação integrativa. Como reclamar valor e manejar bem “o baile” distributivo.
    TÉCNICAS CRÍTICAS DE UM NEGOCIADOR EFICAZ
    MANEJO DENTRO DO PROCESSO
    A PSICOLOGIA HUMANA NA NEGOCIAÇÃO
    A ÉTICA NA NEGOCIAÇÃO
    EFEITO DO USO DE REPRESENTANTES NA NEGOCIAÇÃO
  6. PRÁCTICA DE MEDIAÇÃO: TÉCNICAS E ESTRATÉGIAS

    Essa disciplina dá a conhecer a intervenção mediadora sob uma perspetiva técnica que dá coerência a uma prática baseada em um modelo e um método de atuação.

    Alguns temas abordados na disciplina são:

    TÉCNICAS E ESTRATÉGIAS DA MEDIAÇÃO
    Modelo. Método e técnicas. Construção de espaços de cooperação. Técnicas para facilitar a comunicação. Técnicas para diferentes tipos de conflitos. Técnicas para diferentes interações conflitivas. Técnicas para diferentes momentos do processo.
    A CO-MEDIAÇÃO
    Conceito de co-mediação. Modelos de co-mediação. Aplicação a diferentes contextos.
    ÉTICA DO MEDIADOR
    A ética do posicionamento mediador. A ética da neutralidade. Códigos deontológicos.
  7. LEGISLAÇÃO NACIONAL E INTERNACIONAL SOBRE MEDIAÇÃO E OUTROS PROCEDIMIENTOS DE RESOLUÇÃO DE CONFLITOS

    A disciplina aborda as denominadas Alternativas à resolução de disputas (ADR ou MARC) e o âmbito legislativo no qual se estão implementando na América e na Europa, dando especial ênfase à mediação.

    Alguns temas abordados na disciplina são:

    CONSIDERAÇÕES GERAIS SOBRE AS ALTERNATIVAS À RESOLUÇÃO DE DISPUTAS
    ANÁLISE DA REGULAÇÃO LEGAL DAS DISTINTAS ADR NO CONTINENTE AMERICANO:
    Estados Unidos e Canadá. América Latina.
    DESENVOLVIMENTO LEGAL DOS SISTEMAS NÃO-ADVERSARIAIS NA EUROPA. ESPECIAL REFERÊNCIA À MEDIAÇÃO FAMILIAR. REFLEXO DAS ADR NOS DISTINTOS INSTRUMENTOS INTERNACIONAIS. A MEDIAÇÃO FAMILIAR NO DIREITO COMPARADO EUROPEU. ANÁLISE COMPARADA DA LEGISLAÇÃO ESPANHOLA EM MEDIAÇÃO FAMILIAR.
  8. RESOLUÇÃO/TRANSFORMAÇÃO DE CONFLITOS NO ÂMBITO ESCOLAR

    Esta disciplina dota de conhecimentos e capacidades necessários para intervir no processo de melhoria da convivência e da transformação dos conflitos no âmbito escolar.

    Alguns temas abordados na disciplina são:

    CONFLITO E CONVIVÊNCIA NA ESCOLA
    TIPOS DE CONFLITOS E PROBLEMAS DE CONVIVÊNCIA NO ÂMBITO ESCOLAR
    Os conflitos interpessoais, a indisciplina, a disrupção nas aulas, o bullying e o vandalismo.
    A EDUCAÇÃO EM RESOLUÇÃO DE CONFLITOS
    Antecedentes e desafios futuros.
    O MODELO GLOBAL DE CONVIVÊNCIA ESCOLAR
    Fundamentos e objetivos. Componentes do modelo global, programas de intervenção. Currículo de resolução de conflitos: teoria e atividades. Os programas de Mediação Escolar e outros processos colaborativos de resolução de conflitos. O programa de Disciplina Positiva. Estratégias para o envolvimento de pais e mães.
    OUTRAS ESTRATÉGIAS DE INTERVENÇÃO PARA A ABORDAGEM DE CONFLITOS ESCOLARES
    O DESENVOLVIMENTO DE UM PROJETO DE MELHORIA DA CONVIVÊNCIA NA ESCOLA: FASES E RECURSOS NECESSÁRIOS
    A COMISSÃO DE CONVIVÊNCIA
    CENÁRIOS PARA A NEGOCIAÇÃO NA ESCOLA
    O PROCESSO DE MEDIAÇÃO APLICADO AOS CONFLITOS ESCOLARES
  9. RESOLUÇÃO/TRANSFORMAÇÃO DE CONFLITOS NO ÂMBITO FAMILIAR

    Esta disciplina esta forcada na descrição e análise de processos de resolução e transformação de conflitos no contexto familiar que requeiram a intervenção de terceiras pessoas imparciais que facilitem o diálogo, a responsabilização e a tomada de decisões entre os protagonistas de cada situação. Este material é o resultado da experiência profissional na intervenção em conflitos tanto relacionados à rutura do casal (separação/divórcio, custódia, relação com os filhos e filhas, necessidades económicas, etc.) como aqueles conflitos de convivência intergeracional, acolhimento ou bem de organização quanto às necessidades de alguma das pessoas que compõem tal família (pessoas idosas, deficientes, doença mental, etc.).

    Alguns temas abordados na disciplina são:

    PRINCÍPIO E CARACTERÍSTICAS DOS PROCESSOS DE RESOLUÇÃO DE CONFLITOS NO ÂMBITO FAMILIAR
    TIPOS DE CONFLITOS FAMILIARES EM FUNÇÃO DO CONTEXTO, CAUSAS E PESSOAS IMPLICADAS
    PROTAGONISTAS DE CONFLITOS FAMILIARES VIÁVEIS À INTERVENÇÃO EM PROCESSOS COLABORATIVOS DE RESOLUÇÃO DE CONFLITOS E MEDIAÇÃO
    PROCESSO DE MEDIAÇÃO APLICADO A CONFLITOS NO ÂMBITO FAMILIAR
    LIMITES E CONSEQUÊNCIAS DA INTERVENÇÃO NO ÂMBITO FAMILIAR
    EVOLUÇÃO DA MEDIAÇÃO FAMILIAR
  10. RESOLUÇÃO/TRANSFORMAÇÃO DE CONFLITOS NO ÂMBITO COMUNITÁRIO

    Esta disciplina ajuda a compreender o quadro conceitual da Mediação Comunitária e desenvolvimento de habilidades, competências e atitudes para o exercício da mediação nesse âmbito.

    Algunos temas que se abordan en la asignatura son:

    A CULTURA DE PAZ E A MEDIAÇÃO COMUNITÁRIA
    CONFLITO, COMUNICAÇÃO E CULTURA
    O MÉTODO SOCIAL DA MEDIAÇÃO COMUNITÁRIA
    O CENTRO DE MEDIAÇÃO COMUNITÁRIA
  11. RESOLUÇÃO/TRANSFORMAÇÃO DE CONFLITOS NO ÂMBITO ORGANIZACIONAL

    A disciplina faz uma sistematização do Conflito e da Negociação no contexto das organizações e especialmente no que concerne as relações profissionais.

    Alguns temas abordados na disciplina são:

    INTRODUÇÃO À TEORIA DO CONFLITO NAS ORGANIZAÇÕES
    ASPETOS PSICOSSOCIAIS DO CONFLITO NAS RELAÇÕES DE TRABALHO
    ESTRUTURAS E PROCESSOS DA NEGOCIAÇÃO NO ÂMBITO EMPRESARIAL
  12. RESOLUÇÃO/TRANSFORMAÇÃO DE CONFLITOS NO ÂMBITO PENAL

    A disciplina mostra a Justiça Restaurativa e Reparadora como paradigma transformador dos sistemas penais e penitenciários. Oferece, ainda mais, uma visão teórico-prática sob o âmbito comparado das diferentes ferramentas de Justiça Restaurativa: mediação, conferências, círculos, etc. A disciplina ensina também o desenvolvimento das experiências mais importantes de Justiça Restaurativa na União Europeia, Estados Unidos, Canadá e América Latina.

    Alguns temas abordados na disciplina são:

    JUSTIÇA RESTAURATIVA
    Novo paradigma para a transformação social. Antecedentes. Princípios inspiradores. Conceitualização. Justiça Retributiva versus Justiça Restaurativa. Legislação no âmbito internacional.
    AS FERRAMENTAS DA JUSTIÇA RESTAURATIVA
    Mediação Vítima–Ofensor. Mediação Penitenciária. Conferências Comunitárias–Grupos Familiares.
    VISÃO COMPARADA DO DESENVOLVIMENTO DA JUSTIÇA RESTAURATIVA
    União Europeia. Estados Unidos. Canadá. América Latina.
    ALCANCE PRÁTICO DAS FERRAMENTAS RESTAURATIVAS ANTES OU DEPOIS DA EXECUÇÃO DA PENA: MENORES INFRATORES, ADULTOS INFRATOREs
  13. RESOLUÇÃO/TRANSFORMAÇÃO DE CONFLITOS NO ÂMBITO SANITÁRIO

    O objetivo da disciplina é que os alunos consolidem uma formação conceitual e prática que lhes permita intervir como mediadores de conflitos em instituições de Saúde.

    Alguns temas abordados na disciplina são:

    ANÁLISE PSICOSSOCIAL DOS AGENTES SANITÁRIOS
    Pacientes, profissionais e instituições.
    A ATENÇÃO EM SAÚDE
    Multiplicidade de agentes.
    TEORIA E PRÁTICA DA MEDIAÇÃO E DA NEGOCIAÇÃO NOS CONFLITOS CRIADOS NA ÁREA DA SAÚDE
  14. RESOLUÇÃO/TRANSFORMAÇÃO DE CONFLITOS NO ÂMBITO INTERNACIONAL

    A disciplina está focada nos conhecimentos e capacidades necessárias para analisar e intervir nos processos de resolução e transformação dos conflitos na gestão dos pós-conflitos no âmbito internacional.

    Alguns temas abordados na disciplina são:

    OS CONFLITOS INTERNACIONAIS
    O que entender por conflito internacional? Elementos básicos dos conflitos internacionais. Regulação, transformação e resolução de conflitos internacionais.
    EVOLUÇÃO HISTÓRICA DOS CONFLITOS INTERNACIONAIS
    Da criação dos Estados às guerras mundiais. A guerra fria. Os conflitos de nosso tempo.
    A ANÁLISE DOS CONFLITOS INTERNACIONAIS
    Tipos, paradigmas e ferramentas.
    MODELOS E MÉTODOS PARA A INTERVENÇÃO E MEDIAÇÃO NOS CONFLITOS INTERNACIONAIS
    EXEMPLOS DA DIVERSIDADE DOS CONFLITOS INTERNACIONAIS E SUA REGULAÇÃO
    Afeganistão. Iraque. Israel-Palestina. Bálcãs. Colômbia. Entre outros.
    OS RISCOS PARA A PAZ E AS TEORIAS DE CONSTRUÇÃO DA PAZ
  15. RESOLUÇÃO DE DISPUTAS ON-LINE

    O crescimento exponencial da internet e a integração nessas novas tecnologias da comunicação de muitas atividades tanto lúdicas como comerciais e profissionais, fará com que – e em alguns países já o tem feito – a RDL seja um procedimento pelo qual boa quantidade de pessoas em todo o mundo resolva suas disputas. O objetivo da disciplina é familiarizar os estudantes com essa nova filosofia e prática dos processos de resolução/transformação de conflitos on-line.

    Alguns temas abordados na disciplina são:

    HISTÓRIA DA RDL
    O IMPACTO DA COMUNICAÇÃO ON-LINE
    A QUARTA PARTE: A TECNOLOGIA
    VANTAGENS E DESVANTAGENS DA RDL
    NEGOCIAÇÃO ON-LINE
    MEDIAÇÃO ON-LINE
    FACILITAÇÃO ON-LINE
    ÂMBITOS DE APLICAÇÃO
    RECURSOS EM RDL
    IDENTIDADE E CONFLITO
  16. PRÁTICAS EXTERNAS

    Esta disciplina tem o objetivo de promover a capacitação e o desenvolvimento de competências gerais, específicas e/ou transversais do Master Universitário em curso. Trata-se da realização de atividades profissionais em um contexto laboral autêntico.

    Portanto, é atribuído um professor-tutor da Universidade e um tutor dentro da instituição onde são realizadas as Práticas. Os dois tutores supervisionam e acompanham as atividades e tarefas desenvolvidas pelo aluno durante este período.

  17. TRABALHO FINAL DE MASTER

    O Trabalho de Fim de Master (TFM) é desenvolvido a partir de um projeto aplicado que traga novidades para o campo de conhecimentos do programa estudado. O TFM deve ser elaborado de acordo com os delineamentos e normativas exigidas para uma atividade deste tipo. Durante todo o processo, o estudante conta com a assessoria da equipe académica e de um orientador, pessoa especialista no tema ou objeto de estudo.

Direção

  • Dra. Silvia Aparicio. Doutora em Ciências Econômicas pela Universidad Autónoma de Madrid e licenciada em Administração e Direção de Empresas pela Universidad de Cantabria. Diretora Acadêmica Internacional da Área de Desesenvolvimento Diretivo, Organização Empresarial e Recursos Humanos da Fundación Universitaria Iberoamericana, FUNIBER.
  • Dr. Ramón Alzate Saez de Heredia. Doutor em Filosofia e Ciências da Educação pela Universidad del País Vasco. Catedrático de Psicologia da Universidad del País Vasco.
  • Dra. Cristina Hidalgo González. Doutora em Ciências Empresariais pela Universidad de León. Professora Titular do Departamento de Economia Aplicada da Universidad de León.
  • Dra. (c) Carmen Lilí Rodríguez Velasco. Doutorado em Educação, pela Universidad Internacional Iberoamericana (em processo). Mestrado em Psicologia Laboral e Organizacional pela Universidad de La Habana, Cuba. Coordenadora Acadêmica Internacional da Área Desenvolvimento Diretivo, Organização Empresarial e Recursos Humanos, FUNIBER.
  • Dra. (c) Ana Godoy Magdaleno. Doutorado em Psicologia pela Universidad del País Vasco (em processo de finalização). Diploma de Estudos Avançados pela Universidad del País Vasco. Especialista em Mediação: âmbitos de atuação e técnicas aplicadas à resolução de conflitos, pela Universidad Complutense de Madrid. Coordenadora Acadêmica do Programa Mestrado em Resolução de Conflitos e Medialção e suas Especializações.

Professores e Autores

  • Dra. Cristina Merino. Doutora em Cooperação, integração e conflito na Sociedade Internacional, pela Universidad del País Vasco. Mediadora em conflitos de caráter escolar, familiar, organizacional e comunitário. Sócia fundadora do Centro Universitario de Transformación de Conflictos de la Universidad del País Vasco. GEUZ-UPV/EHU para a docência, pesquisa e intervenção em conflitos.
  • Dr. Ignacio Bolaños. Doutor em Psicologia pela Universidad Autónoma de Barcelona. Expert em Mediação. Âmbitos de atuação e Técnicas aplicadas na Resolução de conflitos. Área de Mediação, Universidad Complutense de Madrid.
  • Dr. Jorge Bolaños Carmona. Doutor em Matemáticas. Professor Titular da Universidad de Granada. Instituto Universitario de la Paz y los Conflictos Universidad de Granada.
  • Dr. Ramón Alzate Saez de Heredia Doutor em Filosofia e Ciências da Educação pela Universidad del País Vasco. Catedrático de Psicologia da Universidad del País Vasco.
  • Dra. Inmaculada Armadans Tremolosa. Doutora em Psicologia pela Universidad de Barcelona. Professora da Facultad de Psicología da Universidad de Barcelona. Directora de Pós-graduação de Il3 (UB). Intervenção em situações de conflito nas Instituições Educativas.
  • Dra. Leticia García Villaluenga. Professora Titular de Direito Civil da Universidad Complutense de Madrid. Diretora do Instituto de Pesquisa em Mediação da Universidad Complutense de Madrid.
  • Dr. José Antonio Esquivel. Professor Titular na Universidad de Granada. Instituto de la Paz y los Conflictos de la Universidad de Granada.
  • Dr. Francisco Jiménez. Pesquisador do Instituto de la Paz y los Conflictos de la Universidad de Granada.
  • Dr. Juan Luis Martin Ayala. Doutor em Psicologia, pela Universidad del País Vasco, Espanha. Mestre em Saúde Mental e Técnicas Psicoterapêuticas, pela Universidade de Deusto, Espanha. Especialista em Mediação Familiar. Diretor do Programa de Mestrado em Resolução de Conflitos e Mediação e suas Especializações, FUNIBER. 
  • Dr. (c) Ricardo Alberto Concha Machuca. Professor da Universidad de Chile.
  • Dr. (c) Fernando Die Badolato. Licenciado enm Direito e Expert em Mediação: Âmbitos de Actuación e Técnicas Aplicadas na Resolução de Conflitos na Universidad Complutense de Madrid.
  • Dra. (c) Carmen Lilí Rodríguez Velasco. Doutorado em Educação, pela Universidad Internacional Iberoamericana (em processo). Mestrado em Psicologia Laboral e Organizacional pela Universidad de La Habana, Cuba. Coordenadora Acadêmica Internacional da Área Desenvolvimento Diretivo, Organização Empresarial e Recursos Humanos, FUNIBER.
  • Dr. (c) Diego J. Kurtz. Doutorado em Engenharia e Gestão do Conhecimento pelo PPGEGC – UFSC (em processo). Mestrado em International Business - Wiesbaden Business School, Alemanha. Pesquisador do Núcleo de Gestão para a Sustentabilidade (www.ngs.ufsc.br) e Pesquisador Junior do Projeto Dynamic SME (www.dynamic-sme.org). Coordenador de Programas e Professor da FUNIBER.
  • Dra. (c) Julién Brito Ballester. Doutorado em Projetos, pela Universidad Internacional Iberoamericana (em processo). Mestrado em Psicologia Laboral e Organizacional pela Universidad de Habana, Cuba. Mestrado em Gestão de Recursos Humanos pela Universidad Autónoma de Barcelona. Mestrado em Coaching Sistêmico pela Universidad Autónoma de Barcelona. Consultora Internacional e Expert em Gestão de Recursos Humanos, Formação, Desenvolvimento e Competências Profissionais.
  • Ms. Sandra Sacristán Maza. Mestrado em Resolução de Conflitos Coordenadora de Equipe Centro Municipal de Mediación de Viladecans.
  • Ms. Carlos Romera. Mestrado em Criminologia. Centro Universitario de Transformación de Conflictos GEUZ.
  • Ms. Alejandro Marcelo Nató. Advogado. Mestrado em Programação Neurolingüística. Mestrado em Resolução de Conflitos e Mediação. Consultor do Centro Carter en Medios de Comunicación y Conflictos Sociales en Bolivia.
  • Ms. Antonio Vega. Diplomado em Administração e Direção de Empresas por ESADE. Mestrado em Direção de Recursos Humanos e Consultoria nas Organizações pela Universidad de Barcelona. Coach e Consultor em Planificação Estratégica, Liderança e Desenvolvimento Organizacional. Presidente na Fundación Humaniza.
  • Lic. Inmaculada Urruela. Diplomada em trabalho Social. Equipes Técnicas de Assessoramento em Justiça de Menores.
  • Lic. Lucía Gorbeña. Centro Universitário de Transformación de Conflictos (GEUZ).
  • Lic. Amaia Aguirre. Centro Universitário de Transformación de Conflictos (GEUZ).
  • Lic. María Gabriela Rodríguez. Pedagoga. Professora Titular na Universidad de Lomas de Zamora. Mestrado em Programação Neurolingüistica. Mediadora, Facilitadora e Especialista em gestão de conflitos comunitários, processos de diálogo e construçãon de consenso.
  • Lic. Diego Checa. Pesquisador do Instituto de la Paz y los Conflictos de la Universidad de Granada.

Bolsa de Trabalho

A Fundação Universitária Iberoamericana (FUNIBER) destina periodicamente um valor econômico de caráter extraordinário para Bolsas de estudo em Formação FUNIBER.

Para solicitá-la, preencha o formulário de solicitação de informação que aparece no portal da FUNIBER ou entre em contato diretamente com a sede da fundação em seu país para saber se é necessário fornecer alguma informação adicional.

Uma vez recebida a documentação, o Comitê Avaliador examinará a idoneidade de sua candidatura para a concessão de um incentivo econômico na forma de Bolsa de estudo em Formação FUNIBER.