Master Universitario em Gestão Integrada: Prevenção, Ambiente e Qualidade

Apresentação do Programa

No portfólio dos estudantes da maioria dos sistemas de ensino nacionais e internacionais, tradicionalmente se tem omitido conceitos relativos à qualidade na conceção de produtos e serviços, referências de tipo ambiental ou outros concernentes à segurança e à saúde laboral.

Neste sentido, a formação é essencial para iniciar ações de planejamento estratégico de longo prazo que incorporem a gestão integrada nas atividades económicas e/ou produtivas. Consequentemente, o estudo de uma pós-graduação em gestão integrada proporciona um valor agregado considerável a muitos postos de trabalho. Tanto que hoje tornou-se quase um requisito cada vez mais exigido pelos empregadores.

Sem dúvidas, por causa da necessidade de contar com profissionais que conheçam e implementem sistemas de gestão baseados em normas reconhecidas internacionalmente dentro de suas empresas. Este conhecimento é necessário e essencial para a otimização dos recursos existentes, a fim de obter vantagens competitivas na empresa e um resultado positivo na comunidade em que está imerso. A este respeito, um sistema de gestão integrada deve basear-se num modelo holístico que incorpora critérios ambientais, sociais, éticos, económicos e de produção e/ou prestação de serviços.

Do ponto de vista prático, este modelo deve ser instrumentalizado como norma de gestão a partir de uma série de indicadores e critérios de medição para a sustentabilidade. A dispersão regulamentar e a falta de unanimidade de organizações, como a ISO, na publicação de uma norma integrada tem historicamente dificultado a unificação dos sistemas, razão pela qual está longe de ser uma prática generalizada. No entanto, a evolução das diferentes versões dos padrões de qualidade, ambiente e prevenção de riscos laborais demonstra uma tendência que converge para um único sistema integrado.

Neste contexto, o Master Universitario em Gestão Integrada: Prevenção, Ambiente e Qualidade mescla os domínios da inovação e da gestão do conhecimento, a fim de formar integralmente um especialista em Gestão Integrada.

A metodologia de formação incorpora práticas que visam a aquisição de conhecimentos básicos e especializados, o que supõe uma aproximação das necessidades da sociedade, potencializando, assim, o interesse científico, que pode ser divulgado e vinculado à atividade de investigação relacionada aos estudos de doutorado.

A quem é dirigido

A metodologia de formação proposta, somada à clareza, amplitude e didática do projeto dos conteúdos, permite dirigir o Master Universitario em Gestão Integrada: Prevenção, Ambiente e Qualidade a:

  • Graduados em Engenharia (Agronómica, da Produção, Industrial, Elétrica, de Minas e Florestal) e Arquitetura ou equivalentes (Engenheiros Técnicos ou Superiores).
  • Graduados em Administração de Empresas ou equivalentes (Licenciados).
  • Graduados em Ciências Sociais (Sociologia, Psicologia) ou equivalentes (Licenciados).
  • Graduados em Ciências Jurídicas (Direito Ambiental) ou equivalentes (Licenciados em Direito).
  • Graduados universitários em qualquer titulação similar às anteriores, sejam titulações de implantação futura no sistema universitário espanhol ou titulações existentes nos sistemas universitários de outros países.
  • Graduados universitários de qualquer especialidade passível de comprovação de ter recebido formação específica em matéria de gestão integrada.
  • Graduados universitários de qualquer especialização que comprove documentalmente ter atuado no campo da gestão integrada durante um período prolongado.

Titulação

Após a conclusão bem sucedida do programa, o aluno receberá o título emitido pela Universidade Europeia do Atlântico.

Estrutura do Programa

Sobre a distribuição do tempo, fica estabelecido que:

  • O tempo máximo de que se dispõe para concluir o Master é de 24 meses. Neste período, o aluno deve ter concluído com êxito todas as atividades avaliadas, as práticas externas e ser aprovado na Dissertação de Master.
  • Por razões académicas e de aprendizagem, o programa dispõe de uma duração mínima de 18 meses. Este período será contabilizado a partir da data de matrícula até a data de recebimento do último trabalho de avaliação.
  • Por ser um programa a distância e não estar sujeito a aulas presenciais, não se estabelece uma data específica de início, desta maneira, o aluno pode formalizar a matrícula em qualquer momento, sempre que houver vagas disponíveis.

A estrutura de créditos do Master Universitario em Gestão Integrada: Prevenção, Ambiente e Qualidade é a que se segue:

# FASE PRÉVIA
1 1a Parte: Fase Prévia
# FASE OFICIAL CRÉDITOS ECTS1
2.1 15 disciplinas obrigatórias 56
2.2 Prácticas Externas 6
2.3 Dissertação de Master 10
TOTAL 72

1 O número de créditos pode variar de acordo com a Universidade que emite o título. Um (1) crédito ECTS (European Credit Transfer System) equivale a 25 horas. Se o aluno cursa o programa matriculado em uma universidade não pertencente ao Espaço Europeu do Ensino Superior (EEES), a relação entre créditos e horário pode variar.

Objetivos

Objetivo geral

  • Formar profissionais na área empresarial que possam ser integrados e/ou liderar equipes multidisciplinares com capacidade de adaptar-se às necessidades do mercado e às mudanças tecnológicas, além de abordar problemas de gestão integrados com critérios profissionais através do uso das novas tecnologias (TIC).

Objetivos específicos

Ao concluir este programa, os alunos serão capazes de:

  • Identificar técnicas de tratamento mais adequada (física, química ou biológica), segundo das características da água residual afluente e propor alternativas com base na redução da poluição, reutilização e emprego de melhores práticas de origem.
  • Avaliar possíveis formas de valorização de resíduos químicos e industriais em geral, com destaque para os destinados à fabricação de materiais leves e denso para a construção, em função da sua viabilidade ambiental, técnica e económica.
  • Diferenciar os procedimentos de controle, monitoramento e análise de poluentes gasosos e partículas sob o marco da legislação vigente, e explicar, através de modelos matemáticos, os fatores de emissão e climáticos que determinam a sua dispersão na atmosfera.
  • Explicar as peculiaridades do solo a partir de suas propriedades físico-químicas e dos processos de troca iónica que ocorrem e condicionam sua classificação.
  • Projetar, implementar e manter um sistema de gestão ambiental baseado na norma ISO 14001, bem como realizar auditorias internas de acordo com a ISO 19011 para comprovar a eficácia do sistema.
  • Explicar a importância da abordagem por processos no planejamento do sistema de gestão da qualidade e/ou ambiental, bem como no plano de auditorias baseado na norma ISO 19011.
  • Apreciar a importância de conhecer o quadro legislativo que afeta a atividade no momento de selecionar e definir os papéis e responsabilidades da equipe de auditoria.
  • Projetar, implementar e manter um sistema de gestão da qualidade baseado na norma ISO 9001, bem como realizar auditorias internas de acordo com a ISO 19011 para comprovar a eficácia do sistema.
  • Diferenciar o escopo das normas ISO 9001 e ISO 14001 do escopo da auditoria, especificando diferentes métodos para a recolher de evidências objetivas durante a fase de diagnóstico.
  • Planejar a prevenção no que diz respeito à redução do risco de acidentes de trabalho dentro de uma série de atividades específicas: manipulação de gases e recipientes pressurizados, máquinas e uso de eletricidade, soldagem, resíduos tóxicos e perigosos, operações de armazenagem em geral, entre outros.
  • Planejar a prevenção no que diz respeito a identificar, avaliar e controlar os fatores ambientais, a fim de reduzir o risco de doenças profissionais em uma série de atividades laborais específicas: medição, análise de manipulação de agentes químicos e biológicos, controle de ruído e vibrações, radiações, entre outros.
  • Analisar os fatores que podem influenciar a carga física e/ou mental de trabalho, identificando os efeitos de uma carga inadequada e propondo ações preventivas.
  • Projetar, implementar e manter um sistema de gestão da prevenção baseado na norma OHSAS 18001, permitindo a criação e manutenção de uma cultura de prevenção para evitar acidentes de trabalho e doenças ocupacionais.
  • Planejar o processo de certificação de uma organização e identificar características e problemas comuns na obtenção do certificado de qualidade, ambiental e/ou de prevenção de riscos laborais.
  • Identificar e interpretar a legislação aplicável e os regulamentos técnicos de segurança e saúde laboral.
  • Identificar e relacionar as dimensões e variáveis comuns que afetam as normas ISO 14001, ISO 9001 e OHSAS 18001 no momento de sua integração em um único documento.
  • Planejar o Sistema Integrado de Gestão da qualidade, prevenção de riscos laborais e ambiente, tendo como base os modelos e referenciais reconhecidos neste campo.
  • Identificar os processos relevantes de cada um dos sistemas de gestão separadamente e definir um sistema de indicadores necessário para contribuir à eficácia e eficiência da organização, assim como à quantificação de resultados.
  • Desenvolver a documentação de apoio do sistema de gestão integrado (procedimentos, práticas operacionais, registros, etc.), tendo em conta a integração dos procedimentos e requisitos comuns, específicos em relação aos outros sistemas.

Saídas Profissionais

A formação multidisciplinar que o egresso recebe permite desenvolver sua atividade em empresas de todos os setores, em uma dupla vertente: técnico e pesquisador.

Esta dualidade faz com que estas pessoas ocupem postos de trabalho relacionados com a consultoria, implementação e acompanhamento de sistemas de gestão baseados em normas (qualidade, ambiental, prevenção de riscos laborais, RSE, integrado, etc.), atuem como docentes, entre outros.

Neste contexto, os campos de atuação do egresso do Master Universitario em Gestão Integrada: Prevenção, Ambiente e Qualidade são muito variados: empresas, indústrias, construção, serviços com alto conteúdo de projetos e/ou operações, como o setor de transporte, distribuição comercial, saúde ou o setor público.

Plano de estudos

Master Universitario em Gestão Integrada: Prevenção, Ambiente e Qualidade possui uma estrutura curricular baseada em 2 partes formativas:

  • 1ª PARTE: FASE PRÉVIA

Fase Prévia ou Requisitos Prévios orienta-se à aprendizagem dos conhecimentos, habilidades e atitudes necessários para o aproveitamento ideal do Master em sua fase oficial. Integra, entre outras, uma disciplina focada em temas considerados precedentes ou constituem uma base necessária para o desenvolvimento da Dissertação de Master, na fase oficial.

As disciplinas da Fase Prévia são apresentadas na tabela abaixo:

  • 2ª PARTE: FASE OFICIAL

A fase oficial orienta-se à aprendizagem de conhecimentos, habilidades e atitudes que permitem obter uma formação avançada e orientada à especialização profissional no contexto da gestão integrada.

As disciplinas e créditos ECTS correspondentes à fase oficial são apresentados na tabela abaixo:

Descrições dos Cursos

1ª PARTE: FASE PRÉVIA

  1. INTRODUÇÃO AO AMBIENTE

    O ambiente. Demografia e ambiente. Ambiente e desenvolvimento. Tecnologias inovadoras. O que é desenvolvimento sustentável? Convénios, tratados e políticas de alcance internacional realizados em torno do desenvolvimento sustentável. Os desafios do desenvolvimento sustentável.

  2. FUNDAMENTOS DA PREVENÇÃO DE RISCOS LABORAIS

    Introdução. Conceito de trabalho e saúde. Condições de trabalho. Conceito de risco laboral. Conceito de prevenção e proteção. Técnicas de segurança. Acidente e incidente de trabalho. Doença profissional. Custos de acidentes de trabalho e doenças profissionais. Custos da prevenção. Falhas em controle de acidentes, doenças e incidente. Análise e avaliação do risco. Alternativas para avaliação do risco. Método de avaliação geral de riscos. Caso prático de avaliação de riscos. O trabalho de escritório. O trabalho em campo. Exemplo de aplicação prática. Metodologia de pesquisa de acidentes. A árvore de causas. Índices estatísticos de acidentalidade. Métodos de controle estatísticos. Caso Prático.

  3. MARCO TEÓRICO (DA GESTÃO INTEGRADA)

    Definição de sistema de gestão. Instrumentalização dos sistemas de gestão. O caminho para a excelência. O ciclo de melhoria contínua. Modelos de sistemas de gestão da qualidade. A série ISO 9000. Balanço de implantação da norma ISO 9001. Custos da qualidade. Modelos de excelência empresarial. Modelo de excelência preventiva. A série OHSAS 18000. Integração da variável preventiva na empresa. Qualidade ambiental.

  4. ÉTICA EMPRESARIAL E RESPONSABILIDADE SOCIAL CORPORATIVA

    Definição de ética. Métodos de estudo. Padrões éticos e eficácia empresarial. Ética, legalidade e valores. Conceito de empresa e sociedade. Ética e sociedade. A ética empresarial. Responsabilidade Social Corporativa (RSC), prioridades e finalidade de uma empresa ética. Pautas comunitárias sobre responsabilidade social. Plano de atuação e análise da situação no âmbito da responsabilidade social. Estratégias empresariais para neutralizar os problemas ambientais. Perspectiva de atuação, do enfoque de reparação ao de prevenção. Proposta metodológica. A Responsabilidade Social Corporativa (RSC) para clientes, fornecedores e acionistas. Conjugação do clima organizacional, da comunicação e da autoridade para determinar valores éticos. A ética e o comércio eletrónico.

  5. METODOLOGIA DA INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA

    Aspectos epistemológicos da investigação científica. O processo de investigação científica. Construção do marco teórico. Criação da estratégia metodológica. O relatório da investigação.

2ª PARTE: FASE OFICIAL

  1. GESTÃO AVANÇADA DA ÁGUA RESIDUÁRIA NA INDÚSTRIA

    Introdução. O ciclo integral da água. Tratamento. Reutilização. Uso urbano, industrial e agrícola da água. Caraterização das águas residuárias: coleta de amostras. Parâmetros físicos. Parâmetros químicos. Parâmetros orgânicos. Gases. Outros parâmetros de caraterização das águas residuárias. Qualidade da água. Limites eliminação. Tratamento das águas residuárias industriais: introdução. Convénios de redução da poluição. Evacuação de águas residuárias. Setores industriais. Processos de depuração aplicados pelas indústrias. Esquemas típicos de tratamento. Tecnologias limpas. As melhores técnicas disponíveis. Custos de investimentos em ETAR Reutilização de águas residuárias industriais: introdução. Normativa de aplicação sobre a reutilização de águas residuárias. Patogénicos e indicadores biológicos da qualidade das águas. Tratamentos avançados para a regeneração e a desinfeção das águas residuárias. Usos industriais da água reutilizada. Modelos de reutilização-regeneração da água no setor industrial. Outros usos da água reutilizada.

  2. GESTÃO AVANÇADA DOS RESÍDUOS SÓLIDOS NA INDÚSTRIA

    Introdução. Conceito de resíduo e subproduto. Tipos de resíduos sólidos. Gestão de Resíduos. A reciclagem dos resíduos. Estratégias da União Europeia para a gestão de resíduos. Produção de resíduos sólidos urbanos. Caraterização dos resíduos sólidos urbanos. Tratamento integral dos resíduos sólidos urbanos. Gestão dos resíduos sólidos urbanos tóxicos e perigosos. Tendências futuras na gestão dos resíduos sólidos urbanos. Gestão dos resíduos industriais. Caraterização dos resíduos industriais. Classificação dos resíduos industriais. Alternativas para a gestão dos resíduos industriais. Reciclagem dos resíduos industriais. Embalagens e resíduos de embalagens. Tendências na gestão dos resíduos industriais. Ecologia industrial. Origem dos resíduos químicos. Métodos de valorização dos resíduos químicos. Estudo de viabilidade da valorização.

  3. GESTÃO DA POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA

    A atmosfera. Conceitos básicos sobre poluição atmosférica. Efeito dos poluentes atmosféricos. As fontes poluentes Processos poluentes Sistemas de tratamento de efluentes atmosféricos contaminados. Coleta dos poluentes atmosféricos.

  4. TRATAMENTO DE SOLOS CONTAMINADOS

    Definição de solo A edafologia. Os horizontes do solo Fatores e processos formadores. Classificação e cartografia dos solos. A distribuição edáfica mundial. Fator, aspecto e impacto ambiental. Definição de solo contaminado. Causas e efeitos da contaminação do solo. Técnicas de recuperação de solos: tratamentos in situ e ex situ. Exemplos de técnicas de recuperação de solos. Prevenção e avaliação da contaminação do solo.

  5. GESTÃO AMBIENTAL DA EMPRESA ISO 14001

    Empresa e Ambiente Antecedentes e definições do sistema de gestão ambiental. Justificativa. Papeis envolvidos em um sistema de gestão ambiental. Implantação de um sistema de gestão ambiental. Instrumentalização do modelo de gestão ambiental. A família das normas ISO 14000. O regulamento EMAS Esquema de implantação da norma ISO 14001. Certificação. A norma ISO 14001:2015 - objeto e campo de aplicação. Referências normativas. Termos e definições Contexto da organização. Liderança Planejamento. Apoio. Operação Avaliação do desempenho. Melhoria. Documentação SGA. Auditorias ambientais: introdução. A norma ISO 19011:2011 de auditoria. Etapas de uma auditoria ambiental. Manual de auditoria.

  6. SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE

    Utilidade dos sistemas de gestão da qualidade. Breve história dos sistema de gestão da qualidade. A família das normas ISO 9000. A norma ISO 9001. O comitê técnico ISO/TC 176. O anexo SL. Correspondência entre a ISO 9001:2015 e a ISO 9001:2008. Os 7 princípios de gestão da qualidade. Normas de sistemas de gestão da qualidade vs. normas de produtos. Sistemas de gestão da qualidade em setores específicos. Balanço mundial da implantação da norma ISO 9001. Definição de processo. Foco em processos. Tipos de processos. Modelo de sistema de gestão da qualidade baseado em processos.

  7. A NORMA ISO 9001

    Plano de implantação de um SGC: planejamento do projeto. Identificação dos processos afetados. Delegação de responsáveis. Formação da equipe de trabalho. Criação do mapa de processos. Elaboração da documentação. Formação de todo o pessoal da organização. Auditorias internas. Auditoria de certificação. O processo de certificação. Norma ISO 9001:2015 - objeto e campo de aplicação. Referências normativas. Termos e definições Contexto da organização. Liderança Planejamento. Apoio. Operação. Avaliação do projeto. Melhoria.

  8. GESTÃO DA DOCUMENTAÇÃO E AUDITORIA

    Gestão da documentação: introdução Requisitos de documentação da norma ISO 2009:2015. Boas práticas na documentação. Gestão informatizada da documentação. Auditoria da qualidade: introdução. Objetivos da auditoria de qualidade. A norma 19011:2011 - princípios de auditoria. Gestão de um programa de auditoria. Realização da auditoria. Competência e avaliação dos auditores. Questionário de auditoria.

  9. SEGURANÇA LABORAL

    Técnicas de segurança. Avaliação de riscos. Investigação de incidentes. Inspeção de segurança. Notificação e registro. Análise estatística. Normas e sinalização. Proteção coletiva e individual. Locais de trabalho. Prevenção de incêndios. Plano de autoproteção. Equipes de trabalho. Produtos químicos. Risco elétrico.

  10. HIGIENE INDUSTRIAL

    Aspectos gerais. Toxicologia laboral básica. Agentes químicos: medições ambientais e critérios de avaliação. Avaliação da exposição ambiental a agentes químicos. Agentes químicos: controle e EPIs.

  11. ERGONOMIA

    Conceitos e objetivos. Qualidade do ambiente interior. Iluminação nos postos de trabalho. Iluminação nos postos de trabalho. Tela de visualização. Riscos derivados da carga física de trabalho. Manipulação manual de cargas.

  12. PSICOSSOCIOLOGIA APLICADA

    A carga mental no trabalho. Fatores de natureza psicossocial. Motivação e satisfação profissional. Método de avaliação. Intervenção psicossocial.

  13. ISO 45001

    Apresenta-se o modelo ativo e o planejamento da atividade preventiva como um elemento básico e fundamental de qualquer modelo de gestão de prevenção de riscos ocupacionais, instrumentalizado na norma ISO 45001:2018, bem como as informações documentadas necessárias e os requisitos de auditoria.

    O PAPEL DA PREVENÇÃO NA GESTÃO GLOBAL DA EMPRESA
    Antecedentes. O sistema de reativo de ação. Elementos do sucesso do sistema ativo de ação. Integração da atividade preventiva. Como é realizada a integração da prevenção de riscos ocupacionais?
    O que é um sistema de destão da prevenção de riscos ocupacionais. Tipos de modelos de gestão. Responsabilidades da direção.
    PLANEJAMENTO DE ATIVIDADE PREVENTIVA NA EMPRESA
    Introdução. Definição de planejamento preventivo. Planejamento por objetivos e normas de procedimento. Aspectos do planejamento das atividades preventivas. Procedimento geral do planejamento.
    A NORMA ISO 45001:2018
    Introdução. Antecedentes da norma ISO 45001:2018. Estrutura de alto nível: o anexo SL. Principais mudanças da ISO 45001:2018 em relação à OHSAS 18001: 2007. Prioridades na implementação. Certificação de sistema de gestão de SST segundo a norma ISO 45001:2018. Transição da especificação para a norma ISO 45001: 2018.
    IMPLANTAÇÃO DA NORMA ISO 45001:2018
    Introdução. Objeto e campo de aplicação. Referências normativas. Termos e definições Contexto da organização. Liderança e participação dos trabalhadores. Planejamento. Apoio. Operação. Avaliação do desempenho. Melhoria.
    INFORMAÇÃO DOCUMENTADA DO SISTEMA DE GESTÃO SST, SEGUNDO A ISO 45001:2018
    Introdução. Nível I: manual de gestão da segurança e saúde no trabalho (não obrigatório). Nível II: procedimentos. Nível III: instruções. Nível IV: registros. Controle da documentação
    AUDITORIA DE PREVENÇÃO DE RISCOS OCUPACIONAIS.
    Conceitos gerais sobre auditorias de prevenção. Princípios de auditoria. Objetivos das auditorias de prevenção. Tipos de auditoria de prevenção de riscos ocupacionais. O processo de auditoria. Avaliação da auditoria de prevenção de riscos ocupacionais. Requisitos necessários para realizar uma auditoria de prevenção de riscos ocupacionais.
  14. OS SISTEMAS DE GESTÃO INTEGRADA: QUALIDADE, AMBIENTE E PREVENÇÃO

    O que é um sistema de gestão integrada? Antecedentes dos sistemas de gestão integrada. Justificativa dos sistemas de gestão integrada. Vantagens da integração de sistemas. Considerações básicas para a integração de sistemas. Etapas da implementação de um sistema de gestão integrada. Agentes envolvidos na integração de sistemas. Elementos de um sistema de gestão integrada. Documentação do sistema de gestão integrada: manual. Procedimentos. Instruções de trabalho. Registros. Níveis de integração.

  15. MODELOS DE INTEGRAÇÃO

    Introdução. Diretrizes da Oil Industry Internacional Exploration and Production Forum (E&P FORUM). Guia da Chemical Industries Association (Responsible Care Management System) Norma de gestão da qualidade, segurança e saúde e ambiente do órgão de normalização norueguês (QH&E). A proposta australiana. Especificação da British Standards Institution (BS PAS 99:2006). A norma UNE 66177:2005. Integração mediante sistemas de gestão baseada em padrões. Integração mediante sistemas de gestão baseada em processos.

  16. PRÁCTICAS EXTERNAS

    Esta disciplina tem o objetivo de promover o treinamento e o desenvolvimento de competências gerais, específicas e/ou transversais do Master Universitário em curso. Consiste na realização de atividades profissionais em um contexto profissional autêntico.

    Para tal fim, designa-se um docente tutor da Universidade e um tutor dentro da instituição onde se realizam as Práticas. Os dois supervisionam e acompanham as atividades e tarefas desenvolvidas pelo aluno durante o período de Práticas.
  17. DISSERTAÇÃO DE MASTER

    A Dissertação de Master é o desenvolvimento de um projeto aplicado que traga novidades para o campo de conhecimento do programa de estudos. A dissertação deve ser elaborada de acordo com os alinhamentos e regulamentações exigidas para uma atividade deste tipo. o longo do processo, os alunos contarão com a assessoria da equipe académica, e do Orientador do Projeto Final, pessoa especializada no assunto em estudo.


Nota: O conteúdo do programa académico pode ser submetido a modificações em função de atualizações ou melhorias efetuadas.

Direção

  • Dr. Eduardo Garcia Villena. Doutor em Engenharia de Projetos (Ambiente, Segurança, Qualidade e Comunicação) pela Universidade Politécnica da Catalunha, Espanha. Diretor Académico da Área Ambiental da Fundação Universitária Iberoamericana.
  • Dr. Victor Jiménez Argüelles. Doutor em Engenharia de Projetos (Ambiente, Segurança, Qualidade e Comunicação) pela Universidade Politécnica da Catalunha. Mestre em Engenharia pela UNAM (Cidade do México) e professor especialista de prevenção de riscos ocupacionais no setor industrial.

Professores e Autores

  • Dra. José María Redondo Vega. Professora do Departamento de Geografia e Geologia da Universidade de León, Espanha.
  • Dra. Cristina Hidalgo González. Doutora em Ciências Empresas pela Universidade de León. Professora Titular do Departamento de Economia Aplicada da Universidade de León, Espanha.
  • Dr. Víctor Jiménez. Doutor em Engenharia de Projetos (Ambiente, Segurança, Qualidade e Comunicação) pela Universidade Politécnica da Catalunha, Espanha. Professor na Universidade Internacional Ibero-americana.
  • Dra. Izel Marez. Doutora em Engenharia de Projetos (Ambiente, Segurança, Qualidade e Comunicação) pela Universidade Politécnica da Catalunha, Espanha. Professora da Universidade Internacional Ibero-americana.
  • Dra. Olga Capó Iturrieta. Doutor em Engenharia de Projetos (Ambiente, Segurança, Qualidade e Comunicação) pela Universidade Politécnica da Catalunha, Espanha. Responsável pela área de Projetos do Instituto de Investigações Agropecuárias (INIA), Chile.
  • Dra. (c) Lina Pulgarín Osorio. Doutoranda em Projetos pela Universidade Internacional Ibero-americana. Mestrado em Gestão Integrada: Prevenção, Ambiente e Qualidade pela Universidade Politécnica da Catalunha. Coordenadora de Programas e Professora na FUNIBER.
  • Dra. (c) Carmen Lilí Rodríguez Velasco. Doutoranda em Educação pela Universidade Internacional Ibero-americana. Mestre em Psicologia Laboral e Organizacional pela Universidade de Havana, Cuba. Coordenadora Acadêmica Internacional da Área de Desenvolvimento Diretivo, Organização Empresarial e Recursos Humanos da Fundação Universitária Iberoamericana, FUNIBER.
  • Dr. (c). Diego J. Kurtz. Doutorando em Engenharia e Gestão do Conhecimento pela Universidade Federal de Santa Catarina, Brasil. Mestrado em International Business pela Wiesbaden Business School, Alemanha. Pesquisador do Núcleo de Gestão para a Sustentabilidade e Pesquisador Júnior do Projeto Dynamic SME Coordenador de Programas e Professor na FUNIBER.
  • Dra. (c) Diana Patricia Cortés Díaz. Doutoranda em Projetos pela Universidade Internacional Ibero-americana. Mestre em Recursos Humanos e Gestão do Conhecimento pela Universidade de León, Espanha. Consultora especializada em Direito do Trabalho e Segurança Social. Coordenadora de Programas e Professora na FUNIBER.
  • Msc. María Eugenia Luna Borgaro. Mestre em Recursos Humanos e Gestão do Conhecimento pela Universidade de León, Espanha. Especialista em Gestão de Recursos Humanos e Habilidades Diretivas. Professora na FUNIBER.
  • Ms. Vanessa Yélamos. Licenciada em Psicologia (Universidade de Barcelona). Mestre em Coaching Sistêmico (Universidade Autônoma de Barcelona) e Mestre em Coaching Integral (Instituto Superior de Coaching de Barcelona), Professora da Universidade Internacional Ibero-americana.

Bolsa de Trabalho

A Fundação Universitária Iberoamericana (FUNIBER) destina periodicamente um valor econômico de caráter extraordinário para Bolsas de estudo em Formação FUNIBER.

Para solicitá-la, preencha o formulário de solicitação de informação que aparece no portal da FUNIBER ou entre em contato diretamente com a sede da fundação em seu país para saber se é necessário fornecer alguma informação adicional.

Uma vez recebida a documentação, o Comitê Avaliador examinará a idoneidade de sua candidatura para a concessão de um incentivo econômico na forma de Bolsa de estudo em Formação FUNIBER.